Bolsa Credit Suisse reforça posição no capital dos CTT

Credit Suisse reforça posição no capital dos CTT

O banco suíço reforçou a posição detida no capital social dos correios nacionais, elevando a participação de 2,58% para 3,31%.
Credit Suisse reforça posição no capital dos CTT
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 21 de novembro de 2017 às 17:39

Em comunicado enviado esta terça-feira, 21 de Novembro, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT revelam que o banco helvético Credit Suisse reforçou a posição detida no capital social dos correios nacionais.

 

Na nota enviada ao regulador, os CTT comunicam ter hoje recebido a informação de que o banco suíço passou elevou a participação dos anteriores 2,58% para 3,31%.

 

Contudo, a necessidade de comunicar esta transacção decorre do facto de o Credit Suisse ter passado de uma participação de 1,69% para 2,11% detida através de instrumentos financeiros controlados pela instituição helvética.

 

Já a posição directamente detida pelo Credit Suisse passou de 0,88% para 1,20% do capital da cotada liderada por Francisco Lacerda.

 

Em 16 de Novembro, os CTT haviam comunicado à CMVM que o Credit Suisse tinha comprado acções e instrumentos financeiros no montante total de 3,86 milhões de títulos, ou 2,58% do capital dos correios nacionais, com os suíços a juntarem-se aos italianos da Kairos que no dia 10 de Novembro tinham revelado ter passado a deter uma posição qualificada de 2,05% na cotada portuguesa.

Tem-se verificado um movimento de aposta nas quedas em bolsa registadas nas últimas pelos CTT, tendência acentuada pelos resultados decepcionantes da cotadas nos primeiros nove meses do ano, o que levou a empresa liderada por Francisco Lacerda a cortar
 o dividendo que pagará aos seus accionistas em 10 cêntimos, para 38 cêntimos.

Numa análise feita após serem conhecidos os resultados dos CTT, o CaixaBI antevia ser razoável antecipar uma "enorme mudança na estrutura accionista" da instituição. Os correios nacionais anunciaram um plano de reestruturação da empresa que engloba a redução do número de trabalhadores. Pelo seu lado, o Haitong antecipa que a diminuição de trabalhadores é "apenas o início" de um plano de reestruturação que deverá ser "muito mais amplo".

Após duas sessões seguidas em queda, os CTT encerraram a sessão desta terça-feira na praça lisboeta a ganhar 1,09% para 3,165 euros. 




Saber mais e Alertas
pub