Crédito Crédito à habitação vive melhor ano desde 2010

Crédito à habitação vive melhor ano desde 2010

Depois de dois meses de queda, o montante emprestado para a compra de casa voltou a recuperar em Setembro. Já supera tudo o que foi concedido em 2015.
Crédito à habitação vive melhor ano desde 2010
Raquel Godinho 08 de Novembro de 2016 às 12:41

As instituições financeiras emprestaram 512 milhões de euros para a compra de casa, em Setembro, de acordo com os dados publicados pelo Banco de Portugal, esta terça-feira. No acumulado dos primeiros nove meses do ano, as instituições financeiras concederam 4.173 milhões de euros, o que representa o valor mais elevado desde o mesmo período de 2010. O dinheiro emprestado até Setembro já supera aliás todo o montante concedido no ano passado (4.013 milhões de euros).

 

As novas operações de crédito à habitação ascenderam a 512 milhões de euros, em Setembro. Depois de dois meses de quebra do novo montante concedido, com o fim das férias os bancos voltaram a emprestar mais dinheiro. Só em Junho tinha sido concedido mais dinheiro para este fim (587 milhões de euros).

 

Com este valor, o novo crédito à habitação no acumulado do ano superou os 4.100 milhões de euros, ultrapassando os valores de 2011, ano marcado pela chegada da troika e está mesmo em máximos de seis anos. Face ao mesmo período do ano passado, representa um aumento de 51%.

 

Mas não foi só o crédito à habitação que recuperou em Setembro. Também os restantes segmentos foram alvo de mais operações na rentrée. No crédito ao consumo, foram emprestados 328 milhões de euros, superando os 323 milhões de euros do mês anterior. Trata-se do valor mais elevado desde Março. Desde o início do ano, foram emprestados 2.781 milhões de euros, mais 23% do que no período homólogo.

 

No crédito para outros fins, as novas operações ascenderam a 154 milhões de euros, em Setembro, superando os 143 milhões de euros relativos a Agosto. Com este valor elevou o total do acumulado do ano para 1.425 milhões de euros, menos 10% do que no mesmo período de 2015.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ellen Há 3 dias

Your articles are for when it abuyestllo, positively, needs to be understood overnight.

johnny Há 3 semanas

A febre e o frenesim dos tubarões é mais que obvio
já nem uma barraca mal cheirosa na linha de sintra se encontra por menos de 70 mil
irrra está tudo louco
Deus me livre

pub
pub
pub
pub