Bolsa CTT renovam mínimos e perdem um quarto do valor em dois dias

CTT renovam mínimos e perdem um quarto do valor em dois dias

As acções dos CTT voltaram às quedas. Depois de na última sessão ter afundado mais de 21%, esta quinta-feira volta a perder quase 3%, renovando mínimos e elevando para 24% a depreciação em dois dias.
CTT renovam mínimos e perdem um quarto do valor em dois dias
Sara Antunes 02 de novembro de 2017 às 08:49
As acções dos CTT ainda iniciaram o dia a subir, mas foi sol de pouca dura. As acções perdem 2,98% para 3,842 euros, tendo já tocado nos 3,837 euros, o que corresponde ao valor mais baixo de sempre das acções da empresa liderada por Francisco Lacerda. 

Esta queda junta-se à descida superior a 21% registada na última sessão, com os CTT a perderem assim um quarto do seu valor bolsista em apenas dois dias, ou seja, a capitalização bolsista encolheu 182 milhões de euros.

A justificar este comportamento está a apresentação de resultados que os CTT fizeram na terça-feira, já após o fecho do mercado, o corte de previsões e o corte do dividendo. Os CTT anunciaram que os seus lucros nos primeiros nove meses do ano caíram 57% para 19,5 milhões de euros. Já o EBITDA recuou 25% para 68 milhões de euros, num período em que os gastos operacionais aumentaram 5,6% para 23,7 milhões de euros.

 

Além deste conjunto de resultados, que ficou aquém das expectativas dos analistas, os CTT anunciaram ainda que a proposta de dividendo será cortada de 48 para 38 cêntimos. E após serem conhecidos estes números, os analistas emitiram notas de análise.

 

O BPI cortou a avaliação dos CTT em 27,7%, passando o preço-alvo de 6,50 euros para 4,70 euros. A recomendação que era de "comprar" passou para "underperform", ou seja, as acções deverão ter um desempenho abaixo dos pares, de acordo com uma nota a que o Negócios teve acesso.

 

Os analistas Bruno Silva e Filipe Leite destacam que os resultados ficaram muito abaixo das estimativas e que as previsões deixadas surgem como um "profit warning", ou seja, os CTT estão a antecipar que as metas que tinham sido traçadas para este ano não vão ser cumpridas. O que leva a que o BPI esteja menos optimista em relação ao futuro da empresa liderada por Francisco Lacerda. As novas previsões apontam para um corte de 20% ao nível do EBITDA dos CTT.

 

Já o JPMorgan terá reduzido a sua avaliação em 12,7%, passando o preço-alvo de 5,50 euros para 4,80 euros. A recomendação foi mantida em "neutral", segundo os dados disponíveis na Bloomberg.

 

Outra casa de investimento que reduziu a avaliação dos CTT foi a Mainfirst, tendo cortado a avaliação em 28,5% para 5,0 euros. O analista Tobias Sittig reduziu ainda a recomendação de "outperform" (desempenho acima dos pares) para "neutral", segundo a Bloomberg.

 

Já o BBVA terá colocado os CTT sob revisão. A anterior recomendação, reiterada a 27 de Outubro, era de "outperform" com um preço-alvo de 7,10 euros.

 

"Os resultados do terceiro trimestre ficaram muito abaixo das nossas estimativas", salientou o analista do Haitong Nuno Estácio, numa nota citada pela Bloomberg. Este conjunto de resultados "foi obviamente muito negativo e foi afectado por receitas mais baixas do que o esperado além de um aumento dos custos superior ao das estimativas", explica o analista. 

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

AVENTAl, Lacerda pede a Demissao

Mais um CEO para enxovalhar uma empresa! Há 3 semanas

CTT já cai neste momento para 3,78 €!!! Ui, q quedas, uma acção q já valeu perto de 10 €! Oh, Lacerda vai à meerda! Em Portugal temos muitos CEO´s q deviam ser presos! Não bastava já o Ricardo Salgado, Bava, Granadeiro, Rendeiro, Jardim Gonçalves, Vara, Santos Ferreira e Oliveira e Costa! Vem este!

Anónimo Há 3 semanas

o principal accionista (M. Champalimaud, tem mais de 10%), deve estar um bocado chateado com os milhões que está a perder!

Francisco Lacerda é um badamerda! Há 3 semanas

Que anda a fazer o Francisco Lacerda nos CTT? Anda a untar as manápulas para (des)gerir a empresa?!
O Estado vendeu os CTT em Dezembro de 2013 a 5,52 € por acção. Está neste momento a cotar a 3,8100 €! Não tem vergonha nas fuças depois destas brutais quedas! Desampare a loja e vá para o desemprego!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub