Bolsa Daniel Murray: "A menos que os EUA entrem em guerra não esperamos um impacto significativo"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Daniel Murray: "A menos que os EUA entrem em guerra não esperamos um impacto significativo"

O lançamento de um novo míssil norte-coreano ao largo do Japão acelerou uma correcção das acções. Mas, para Daniel Murray, a tensão geopolítica é apenas um de muitos factores que preocupa os investidores. Questões como a retirada de estímulos vai, na opinião do responsável pelo "research" da EFG Asset Management, dominar o desempenho das bolsas.
Daniel Murray: "A menos que os EUA entrem em guerra não esperamos um impacto significativo"
Patrícia Abreu 30 de agosto de 2017 às 07:15

O lançamento de um novo míssil norte-coreano ao largo do Japão acelerou uma correcção das acções. Mas, para Daniel Murray, a tensão geopolítica é apenas um de muitos factores que

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Bem pregam os Frei Tomaz das Bolsas… Há 3 semanas

Parafraseando a “Vox Populi” (“bem prega Frei Tomaz, fazei o que ele diz mas não o que ele faz”, em relação à carismática legião dos Frei Tomaz das Bolsas, diz a lógica e a experiência vívida que os caminhos do sucesso serão prioritariamente daqueles que: “Não fazei os que eles dizem aos outros para fazer, fazei os que eles fazem para si próprios”.Isto sem prejuízo da utilidade informativa de se saber o que é que eles recomendam (aos outros) fazer, e do muito respeito que alguns deles merecem.

comentários mais recentes
Bem pregam os Frei Tomaz das Bolsas… Há 3 semanas

Parafraseando a “Vox Populi” (“bem prega Frei Tomaz, fazei o que ele diz mas não o que ele faz”, em relação à carismática legião dos Frei Tomaz das Bolsas, diz a lógica e a experiência vívida que os caminhos do sucesso serão prioritariamente daqueles que: “Não fazei os que eles dizem aos outros para fazer, fazei os que eles fazem para si próprios”.Isto sem prejuízo da utilidade informativa de se saber o que é que eles recomendam (aos outros) fazer, e do muito respeito que alguns deles merecem.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub