Mercados Deloitte e KPMG facturaram mais de 70% dos serviços de auditoria

Deloitte e KPMG facturaram mais de 70% dos serviços de auditoria

Deloitte, PricewaterhouseCoopers e KPMG concentram os serviços de auditoria no mercado português.
Deloitte e KPMG facturaram mais de 70% dos serviços de auditoria
Bloomberg
Patrícia Abreu 11 de Março de 2016 às 18:21

Os serviços de auditoria no mercado nacional continuam concentrados em três grandes empresas do sector. E duas, Deloitte e a KPMG, em 2014, receberam mais de 70% da facturação dos serviços de auditoria realizados junto de empresas cotadas.


De acordo com o Relatório Anual sobre o Governo das Sociedades Cotadas em Portugal, em 2014, houve dez auditores externos a prestar serviços de auditoria às sociedades cotadas. Ainda que a Deloitte e a PricewaterhouseCoopers tenham sido solicitadas pelo maior número de empresas em 2014, com estas duas sociedades a garantirem 67,4% do mercado, foram a Deloitte e a KPMG quem facturou mais com os serviços de auditoria e fiabilidade.


Estas duas auditoras "receberam mais de 70% dos honorários referentes a estas actividades", sendo que "os honorários de serviços de fiscalidade e outros serviços também estão concentrados nestas auditoras (74,8% do total)", refere o documento divulgado esta sexta-feira, 11 de Março.


"A Deloitte & Associados, SROC, SA recebeu 34,6% dos honorários totais cobrados de sociedades cotadas, ao passo que a KPMG & Associados - Sociedade de Revisores e Oficiais de Contas recebeu 32,5% e a PricewaterhouseCoopers & Associados - Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda 21,5%", detalha o relatório. Cinco auditoras receberam individualmente menos de 1% da facturação total.


Em termos de capitalização bolsista, a PricewaterhouseCoopers audita 38,1% da capitalização do mercado regulamentado português, seguida pela KPMG, com 29,6%, e pela Deloitte (15,7%).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.03.2016

Estes dados são de 2014?
Que relevancia tem esta noticia hoje?

Olharapo 11.03.2016

É uma autêntica mamadeira ! apenas o que fazem é pegar nos números de uma rubrica e colocá-los noutra mais interessante !

pub
pub
pub
pub