Bolsa Demoras na reforma fiscal esfriam entusiasmo em Wall Street

Demoras na reforma fiscal esfriam entusiasmo em Wall Street

As bolsas norte-americanas abriram sem sinal definido esta sexta-feira, 1 de Dezembro, com os investidores a digerirem o desconforto de alguns senadores republicanos com o impacto da redução de impostos no défice dos EUA.
Demoras na reforma fiscal esfriam entusiasmo em Wall Street
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 01 de dezembro de 2017 às 14:36
Os adiamentos em torno da votação da proposta de reforma fiscal nos Estados Unidos estão a dar um arranque de sessão sem sinal comum à última sessão da semana nas bolsas norte-americanas, que refreiam assim os novos recordes batidos ontem.

O S&P 500 está no início da sessão a subir 0,01% para 2.647,81 pontos, enquanto nas tecnológicas o Nasdaq recua 0,21% para 6.859,78 pontos. O índice industrial Dow Jones desce 0,01% para 24.268,88 pontos.

A condicionar as negociações estão os adiamentos nas votações da proposta de reforma fiscal desenhada no Senado, depois de vários senadores se terem mostrado cépticos em relação ao impacto da descida de impostos no défice do país, que poderia ascender a um bilião de dólares.

As votações deverão recomeçar esta sexta-feira, às 16:00 (hora em Portugal Continental), embora já esta manhã o apoio manifestado pelos republicanos Steve Daines e Ron Johnson tenha aumentado a probabilidade de a proposta ser aprovada.

"O partido republicano quer este assunto resolvido de uma maneira ou de outra, e o mercado está a perceber isso. A grande questão é quão isso já está descontado no mercado," afirmou Bruce Bittles, da Baird, citado pela CNBC.

"Os investidores estão a adoptar uma atitude ligeiramente mais cautelosa depois da subida de ontem porque a proposta [de reforma fiscal] está a encontrar obstáculos," afirmou Andre Bakhos, da Janlyn Capital, à Reuters.

Ao longo do dia serão ainda conhecidos indicadores sobre o desempenho dos sectores industrial e da construção dos EUA. 

(notícia actualizada às 15:09 com mais informação)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub