Bolsa Depois de tirar Cimpor de bolsa, Intercement quer cotar subsidiária na Argentina

Depois de tirar Cimpor de bolsa, Intercement quer cotar subsidiária na Argentina

A subsidiária argentina da cimenteira de origem portuguesa deverá vir a cotar na Argentina ou noutros mercados internacionais. A proposta vai à assembleia-geral da Loma Negra a 3 de Julho. Antes, a Cimpor decide saída de bolsa.
Depois de tirar Cimpor de bolsa, Intercement quer cotar subsidiária na Argentina
Miguel Baltazar/Negócios
A Intercement, accionista da cimenteira Cimpor, anunciou esta quarta-feira, 7 de Junho, a intenção de cotar no mercado argentino da Loma Negra, subsidiária do grupo cimenteiro de origem portuguesa.

De acordo com a companhia, a proposta será apreciada pelos accionistas da Loma Negra numa assembleia-geral marcada para 3 de Julho em Olavarría, Buenos Aires.

No ponto 4 da convocatória, a empresa propõe a entrada da sociedade numa "oferta pública" na Argentina ou noutras jurisdições internacionais "e a cotação e/ou negociação secundária da totalidade das suas acções nas bolsas e mercados da Argentina autorizados pela Comissão Nacional de Valores e/ou nos mercados do exterior" oportunamente determinados pela administração.

A Loma Negra passou a fazer parte do universo InterCement em 2005 e foi integrada na Cimpor em 2012 - após a OPA desse ano, que levou a cimenteira nacional para o grupo brasileiro, vários activos trocaram de mãos, incluindo esta subsidiária. 

A decisão de levar a Loma Negra para bolsa acontece cerca de duas semanas depois de a InterCement, do grupo Camargo Corrêa, ter anunciado a intenção de comprar os 4,9% da Cimpor que ainda não detém e retirar a empresa da bolsa portuguesa.

A perda de qualidade de sociedade aberta é decidida pela empresa a 21 de Junho, em assembleia-geral. A proposta de saída é justificada por "níveis de transacção em mercado pouco significativos" e pelo"afastamento dos accionistas minoritários".

No relatório e contas do ano passado, a Cimpor definia a Loma Negra, com 90 anos, como "marca top of mind na Argentina, líder de mercado, e que já comercializou mais de 160 milhões de toneladas de cimento desde a sua fundação".

Na Argentina, a Cimpor dispõe de seis fábrica integradas, duas unidades de moagem e capacidade de produção de 8,7 milhões de toneladas de cimento por ano.

A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
O BCP e o CARVALHO Há 2 semanas

MONTEPIO + 90 % BCP -- 5 % PHAROL + 10 % BCP -- 3 % CIMPOR + 130 % BCP --- 25 % cortiçeira AMORIM + 120 % BCP --- 8 % RAIOS PARTAM o MILENIUM BCP QUE NÃO VALE A PONTA DE UM CARVALHO

Portugal dos Pequenitos Há 2 semanas

Mais uma grande empresa portuguesa destruída pelos brasileiros, à semelhança da PT, na tempo do grande engenheiro Sócrates.

pub
pub
pub
pub