Petróleo "Deus do petróleo" não resiste às perdas e fecha portas do Astenbeck

"Deus do petróleo" não resiste às perdas e fecha portas do Astenbeck

O célebre operador petrolífero Andy Hall decidiu encerrar o seu principal fundo de cobertura de risco, o Astenbeck Master Commodities Fund II, depois de ter registado fortes perdas no primeiro semestre.
"Deus do petróleo" não resiste às perdas e fecha portas do Astenbeck
Bloomberg
Negócios com Bloomberg 04 de agosto de 2017 às 17:09

"Se um operador petrolífero tão bom no que faz, a ponto de ser conhecido como ‘Deus’, não consegue ganhar dinheiro actualmente, é difícil imaginar quem conseguirá", diz a Bloomberg referindo-se ao reconhecido investidor Andy Hall, que anunciou que vai fechar o seu fundo-estrela.

 

Andy Hall decidiu encerrar o seu principal fundo de cobertura de risco (hedge fund), o Astenbeck Master Commodities Fund II, depois de ter registado fortes perdas na primeira metade do ano, comentaram à Bloomberg fontes conhecedoras do processo. O Astenbeck perdeu perto de 30% nos primeiros seis meses do ano, referiu uma outra fonte.

 

A capitulação de uma das figuras mais conhecidas da indústria das matérias-primas ocorre depois de a queda dos preços do petróleo estar a levar a um mau desempenho de muitas unidades de transacção de grandes casas de investimento, como o Goldman Sachs [que reportou, no segundo trimestre, o seu pior resultado de sempre na negociação de "commodities"] e a BP.

 

Pelo menos 10 gestores de activos no segmento dos recursos naturais encerraram os seus fundos desde 2012, incluindo a Clive Capital e a Centaurus Energy, acrescenta a Bloomberg.

 

"Estou chocado. Isto é o fim de uma era. Ele é um dos melhores operadores petrolíferos de sempre", comentou à agência noticiosa um gestor de carteira da Dogma Capital em Lugano (Suíça), Danilo Onorino.

 

"Andy Hall é um dos grandes do trading do petróleo", declarou, por seu lado, Jorge Montepequen, vice-presidente senior do departamento de trading da italiana Eni.

 

Hall foi catapultado para a fama durante a crise financeira mundial, quando o Citigroup revelou que, num só ano, o operador tinha embolsado 100 milhões de dólares a transaccionar petróleo para o banco norte-americano. 

Os preços do petróleo têm negociado com bastante volatilidade este ano, ao sabor das reservas de crude e do corte implementado pela OPEP, numa altura em que o mercado ainda se depara com um excesso de oferta. No mercado nova-iorquino, o crude de referência (WTI) cai 8,02% desde o início do ano. Já em Londres, o Brent do Mar do Norte recua 7,77% no acumulado de 2017.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

"CHOCADO" porquê? Andy Hall 'descobriu' alguma coisa ou foi simplesmente um negociante, cheio de...'oportunidade'?
De resto, bem pode fechar as portas à GULA por que o petróleo...tá acabar!

Nick Há 2 semanas

Contact Kayzed Consultants


Kayzed Helps the organization in getting ISO Certification and other significance done smoothly and cost effectively. Just fill the simple form and get in touch with us for any kind of services as ISO consultancy training, certification against various standards li

Anónimo Há 2 semanas

O cartel está a alterar-se e o Deus não conseguiu as inside informations necessárias a ganhar milhões...

Carlos Há 2 semanas

O Neymar empresta-lhe algum

pub
pub
pub
pub