Mercados Deutsche Bank e BBVA são os alvos do maior número de reclamações

Deutsche Bank e BBVA são os alvos do maior número de reclamações

O Deutsche Bank foi o mais reclamado nas contas de depósito, enquanto os espanhóis se destacam nas queixas no crédito à habitação.
Deutsche Bank e BBVA são os alvos do maior número de reclamações
Andrea Comas - Reuters
Patrícia Abreu 10 de maio de 2017 às 14:25

O Deutsche Bank e o BBVA destacam-se entre as instituições financeiras nacionais que recolhem o maior número de reclamações dos clientes bancários nacionais. Num ano em que as queixas dos portugueses subiram, o banco alemão foi a instituição mais reclamada em matérias de contas de depósito. Já o BBVA é o que tem mais reclamações no crédito hipotecário. As financeiras lideram as reclamações no crédito aos consumidores.


O Deutsche Bank foi o banco mais reclamado nas contas de depósito – a categoria com mais reclamações – , com a sua financeira a surgir ainda no pódio das queixas dos clientes do crédito aos consumidores, segundo o Relatório de Supervisão Comportamental, divulgado pelo Banco de Portugal esta quarta-feira, 10 de Maio. O banco alemão registou um rácio de 2,32 reclamações por cada 1.000 contas de depósito à ordem.


Já o BBVA, o maior alvo de reclamações neste segmento no ano anterior, surge no segundo lugar, com 1,54 queixas por cada 1.000 contas de depósito. As contas de depósito continuaram a ser o produto bancário mais reclamado em 2016.


"Neste ano, as reclamações sobre contas de depósito registaram um aumento de 11,7 por cento face ao ano anterior, correspondendo a 35,9 por cento do total de reclamações, valor superior em 2,2  pontos percentuais (p.p.) ao registado em 2015", aponta o relatório.


Já no crédito aos consumidores, a rubrica que representou 22,6% do total de reclamações, as financeiras do sector automóvel continuam a destacar-se no pódio. A FCE Bank e a Deutsche Bank Aktiengesellschaft receberam 2,45 e 1,87 reclamações por cada 1.000 contratos de crédito aos consumidores.


No crédito da casa, os bancos espanhóis destacam-se entre as instituições que motivaram mais queixas junto do Banco de Portugal. O BBVA foi o mais visado pelas reclamações, com um rácio de 2,74 queixas por 1.000 contratos de crédito. O BIC registou 1,69 reclamações, seguido pelos espanhóis Santander Totta e Popular, com 1,51 e 1,34 reclamações por 1.000 contratos.


O número de reclamações relativas a crédito hipotecário, o terceiro produto mais reclamado, manteve-se praticamente inalterado, tendo o seu peso diminuído de 11,3% do total de reclamações, em 2015, para 10,7%, em 2016. "Neste âmbito, tiveram maior expressão (cerca de 14%) as reclamações sobre a recusa da modificação das condições contratuais (por exemplo, a alteração da data de pagamento da prestação mensal ou do titular do contrato associada a processos de divórcio)", explica o relatório.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 10.05.2017


Não são os médicos e enfermeiros que ganham pouco...

Os professores universitários, juízes e magistrados é que ganham demais.

TOCA A CORTAR OS SALÁRIOS E PRIVILÉGIOS DESTA MALTA TODA... PARA SE PODER BAIXAR O IRS.

comentários mais recentes
Anónimo 10.05.2017


Não são os médicos e enfermeiros que ganham pouco...

Os professores universitários, juízes e magistrados é que ganham demais.

TOCA A CORTAR OS SALÁRIOS E PRIVILÉGIOS DESTA MALTA TODA... PARA SE PODER BAIXAR O IRS.

pub
pub
pub
pub