Research Deutsche Bank recomenda "comprar" o "diamante em bruto" BCP

Deutsche Bank recomenda "comprar" o "diamante em bruto" BCP

A recomendação de "comprar" que o Deutsche Bank lançou ao BCP vem com um preço-alvo de 33 cêntimos. As acções estão a cotar nos 22,78 cêntimos. Os problemas de capital estão resolvidos, falta caminhar para o lucro.
Deutsche Bank recomenda "comprar" o "diamante em bruto" BCP
Inês Lourenço
Diogo Cavaleiro 09 de junho de 2017 às 13:31

O Deutsche Bank recomenda "comprar" as acções do Banco Comercial Português, antecipando que os problemas de capital estão já praticamente resolvidos. Os menores custos de financiamento dão uma ajuda à consideração.

 

Numa nota assinada pelos analistas Ignacio Ulargui e Atul Hanamante, o Deutsche Bank estabelece um preço-alvo de 33 cêntimos para o banco presidido por Nuno Amado (na foto). O potencial de valorização é de 45%, tendo em conta que as acções estão a cotar hoje nos 22,78 cêntimos, com uma valorização de 1,47% em relação ao fecho de ontem.

  

São quatro os motores que justificam a avaliação feita pelo Deutsche Bank, que considera o BCP um "diamante em bruto". Na nota intitulada "Capital resolvido; próxima paragem rentabilidade", o primeiro ponto referido pelos analistas é o "crescimento da margem financeira", que se deve sobretudo à descida dos custos de financiamento. Para os especialistas, há uma tendência de fortalecimento da margem (diferença entre juros cobrados em créditos e juros pagos em depósitos) da instituição financeira. 

 

A este elemento, segue-se também a percepção de que a subida das taxas de juro pode vir a acontecer, dando força à margem. Neste campo, a instituição financeira vê o BCP "com um dos balanços mais sensíveis à evolução das taxas de juro na Europa". Havendo uma subida das taxas, actualmente em mínimos históricos, o banco português será um dos que mais beneficia com isso.

 

A melhoria da qualidade de crédito, justificada por menores entradas em crédito malparado, é o terceiro elemento de consideração dos especialistas da unidade de investimento do banco alemão, com o BCP a caminhar para um modelo com menor risco.

 

A este aspecto o Deutsche Bank acrescenta ainda o facto de os rácios de capital, o grande tema de preocupação até aqui, estarem "num nível confortável", depois do aumento de capital feito este ano, através do qual a Fosun se tornou a maior accionista do BCP. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião84
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 10.06.2017

Esta bojarda lançada pelo DB só se justifica por causa do banco alemão querer descarregar as acções do BCP que detém, através de diversos veículos, com consideráveis mais-valias. Propaganda em causa própria.

comentários mais recentes
Investidor 12.06.2017

Ninguem "puxa" as ações para baixo, nem as "puxa" para cima. É o mercado a funcionar e a tentar prever o valor futuro do BCP, função dos seus resultados, sejam lucros ou prejuizos. Foi assim quando o BCP desvalorizou brutalmente no passado. É assim agora que está a subir. E vai continuar.

Criador de Touros 12.06.2017

E boas notícias sobre a venda do NB.

Criador de Touros 12.06.2017

Boas notícias das eleições francesas e boas notícias de Itália, com eleições adiadas, perspectivam um bom início de semana.

Não tarda dispara 11.06.2017

Podem de vez em quando puxar a acção para baixo mas, se o banco estiver em tendência ascendente (como é o caso) é normal que as acções valorizem. Bateu no fundo mas não faliu, tem recuperado bem, como tal só tem que aproveitar a onda positiva.

ver mais comentários
pub