Mercados Directora da OCDE: "Há excesso de dependência do crédito em Portugal"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Directora da OCDE: "Há excesso de dependência do crédito em Portugal"

Para Flore-Anne Messy, da OCDE, é um bom sinal quando o crédito volta a fluir, mas corre-se o risco de voltar aos problemas do antigamente. O elemento fulcral é a informação aos clientes.
Directora da OCDE: "Há excesso de dependência do crédito em Portugal"
Mariana Adam 16 de agosto de 2017 às 07:15

De uma forma geral, as pessoas estão a assumir responsabilidade em relação ao seu futuro?
Planear a longo prazo é o mais desafiante para a generalidade das pessoas, mas, como sabemos que o risco é)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 16.08.2017

Com a ajuda da União Europeia, da OCDE e dos homens e mulheres sérios e de bem deste país, Portugal ainda há-de ser salvo das garras dos criminosos que capturaram Portugal e o matam aos poucos impunemente.

comentários mais recentes
Anónimo 16.08.2017

Não tem problema, não. Toca a individuarem-se, pois não é para pagar. Caso venha a ser mal sucedido ca estarão outros para pagar no futuro.

Anónimo 16.08.2017

Com a ajuda da União Europeia, da OCDE e dos homens e mulheres sérios e de bem deste país, Portugal ainda há-de ser salvo das garras dos criminosos que capturaram Portugal e o matam aos poucos impunemente.

Anónimo 16.08.2017

A incompetência, o dolo e o desleixo subjacentes aos escândalos de Tancos e Pedrógão são reflexo da incompletude das reformas sugeridas a Portugal pelo FMI, a União Europeia e a própria OCDE. Se o excedentarismo continuadamente subsidiado e o sobrepagamento bem acima do preço de mercado, têm a primazia por parte do poder político e da sociedade em geral, com prejuízo para o investimento reprodutivo, a inovação e o empreendedorismo capazes de criar valor, Tancos, Pedrógão e o 6 de Abril de 2011, serão sempre o corolário lógico de tais opções políticas e desígnios populares.

Amado,Investidor 16.08.2017

.........ANTÓNIO COSTA ANTES DE ENTREGAR A "PASTA" TEM DE FAZER CUMPRR "O COMROMISSO" : DEVOLVER A LIQUIDEZ "SACADA" INDEVIDAMENTE AOS "LESADOS" DO BANIF E ENTRE OS QUAIS TAMBÉM ME ENCONTRO A "ARDER" COM ALGUNS MILHARES, NÃO LHE PEROAREI SE NÃO O FIZER CUMPRIR , AMADO./LESADO BANIF/EMPRESÁRIO.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub