Bolsa Direitos do BCP afundam 17% e continuam "baratos" face às acções (act)

Direitos do BCP afundam 17% e continuam "baratos" face às acções (act)

Desde o início da semana os direitos já recuam mais de 20%, impedindo as acções do BCP de acompanhar a tendência positiva do sector.
Direitos do BCP afundam 17% e continuam "baratos" face às acções (act)
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 26 de janeiro de 2017 às 13:35

Os direitos de subscrição do aumento de capital do Banco Comercial Português estão a acelerar a tendência negativa, na terceira sessão em queda, continuando a pressionar o desempenho das acções.

 

Os direitos estão já a recuar 17,18% para 64,6 cêntimos, o que representa a cotação mais reduzida desta semana. A queda destes títulos está a condicionar fortemente as acções, já que os valores dos dois activos estão correlacionados.

 

As acções descem 5% para 14,25 cêntimos, na quarta sessão em queda, sendo que apesar do desempenho negativo, continuam mais "caras" do que os direitos.

 

A aquisição de um direito a 64,6 cêntimos permite a subscrição de acções com um valor equivalente de 13,71 cêntimos, ou seja, 4% abaixo da actual cotação. Já à cotação das acções corresponde um valor teórico dos direitos de 72,75 cêntimos, ou seja, 12,6% acima do valor a que estes títulos negoceiam em bolsa. Dito de outra forma, os direitos estão "baratos" face às acções.

 

Esta situação de desequilíbrio tem sido a nota dominante na negociação das acções e direitos do BCP, que será explicada pela forte pressão vendedora sobre os direitos a ser exercida pelos accionistas que estão a alienar estes títulos por não pretenderem participar no aumento de capital.

 

Os direitos arrancaram a negociação na quinta-feira da semana passada bem abaixo do preço de equilíbrio com as acções, tendo recuperado nas duas sessões posteriores. Contudo, esta semana já acumulam uma queda de 21%. No mesmo período as acções desvalorizam 9,5%.

 

A pressão negativa dos direitos sobre as acções está a impedir o BCP acompanhar o momento positivo da banca europeia. O Stoxx Banks, que ontem atingiu um máximo desde Janeiro do ano passado, volta esta quinta-feira a negociar em terreno positivo (+0,85%).

 

Os direitos negoceiam em bolsa até à próxima segunda-feira, 30 de Janeiro, terminando a 2 de Fevereiro (quinta-feira) o período de exercício. As novas acções deverão ser admitidas à negociação a 9 de Fevereiro.

 

No âmbito do aumento de capital de 1.332 milhões de euros, cada direito permite a compra de 15 acções, mediante o pagamento de 9,4 cêntimos por cada uma. 


 

Aqui pode simular a sua carteira e ver os preços de equilíbrio entre acções e direitos:

(notícia actualizada com novas cotações, que acentuaram a tendência negativa)




A sua opinião27
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 26.01.2017

Se os Capitalistas Portugueses - há poucos mais ainda há meia dúzia deles - não pegam nos Bancos em Portugal que estão ao preço da uva mijona, está tudo dito...só sobram chineses e angolanos que vivem com uma base de escravos nos seus países, para sustentar jogadas de alto risco...os bancos ainda vão demorar a corrigir as burradas dos seus gestores e só mesmo o BCE permite que estes ainda respirem...os accionistas de referÊncia não penalizam esses gestores, dando um sinal de fraqueza...logo moral da história não há condições de confiança para se investir em nada destas ilusões...dou a mão à palmatória quem andou aqui a escrever mesmo de maneira pouco elevada ou digna sobre os pequenos accionistas do BCP mas no essencial tinham razão...estes gestores são uma treta e os seus resultados são uma vergonha...estou fora retirei os meus 80% de prejuízo e lição aprendida, gestores sem resultados ou aldrabões, acção interditada até nova gestão ou resultados positivos e sérios. BN.

comentários mais recentes
descuido nos direitos 26.01.2017

os abutres descuidaram - se - 11.5 % , amanhã , vão ficar enjaulados , amanhã não haverá vendas a descoberto para ninguém ; amanhã não podem " ENTORTAR " os direitos ; finalmente boas noticias

Anónimo 26.01.2017

quem tiver dinheiro para ir a este AC e estiver a pensar fazê-lo, NÃO O FAÇA, ganhem juizo e saiam com o prejuizo que têm e invistam numa NOS ou EDPR por exemplo, mesmo que a acção desvalorize recebem dividendos

os abutres do descoberto 26.01.2017

hoje estava- mos a fazer uma grande festarola ; mas alguém nos avisou para reduzirmos a festa senão amanhã fechavam - nos na gaiola ; é que se os direitos caem mais de 10% CORTAM -NOS AS ASAS

José 26.01.2017

Boa tarde sr Antunes. Pode me dizer o q foi publicado no ecoonline? Como posso ver essa noticia? Agradeço

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub