Bolsa Discurso de Trump leva bolsas dos EUA a iniciarem a semana em queda

Discurso de Trump leva bolsas dos EUA a iniciarem a semana em queda

Os principais índices norte-americanos estão a negociar no vermelho, depois de o discurso do novo presidente dos Estados Unidos ter aumentado os receios em relação às suas políticas proteccionistas.
Discurso de Trump leva bolsas dos EUA a iniciarem a semana em queda
Reuters
Rita Faria 23 de janeiro de 2017 às 14:37

Os principais índices norte-americanos abriram a sessão desta segunda-feira, 23 de Janeiro, em terreno negativo, depois de o discurso de Donald Trump, na tomada de posse, ter aumentado os receios em torno do crescente proteccionismo nos Estados Unidos.

 

O novo presidente da maior economia do mundo repetiu a sua promessa de colocar "a América primeiro", estabelecendo duas regras simples: "comprar americano, contratar americano".

 

O índice industrial Dow Jones desce 0,1% para 19.807,18 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq cai 0,16% para 5.546,02 pontos. Já o S&P500 desvaloriza 0,21% para 2266,97 pontos, depois de ter subido 0,3% na sexta-feira, com a valorização do petróleo a impulsionar as cotadas da energia.

 

O foco de hoje será "as consequências do discurso da tomada de posse de Donald Trump e o início da sua primeira semana no cargo", afirmam os analistas Mike van Dulken e Henry Croft da Accendo Markets, numa nota citada pela Bloomberg. Trump adoptou "uma retórica nacionalista e proteccionista que arrisca balançar o barco da globalização", acrescentam.

 

Wall Street atingiu novos máximos após a eleição do candidato republicano, em Novembro, com os investidores animados com as suas propostas de impulsionar o crescimento económico do país, através da redução de impostos, reforma da regulação e aumento dos gastos em infra-estruturas.

 

Contudo, os investidores estão agora apreensivos em relação à falta de detalhe nas suas propostas económicas e preocupados com o impacto da posição isolacionista no comércio global.

 

Esta segunda-feira, o mercado estará ainda atento à divulgação de resultados de várias empresas norte-americanas, incluindo a McDonald’s e a Yahoo. Os analistas estimam que os lucros das empresas do S&P500 tenham aumentado 4,4% no último trimestre de 2016, em termos homólogos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub