Bolsa Dona da British Airways afunda mais de 4% após problemas informáticos

Dona da British Airways afunda mais de 4% após problemas informáticos

Nas primeiras horas de negociação, as acções da IAG chegaram a registar a maior queda desde a vitória de Donald Trump nas eleições.
Dona da British Airways afunda mais de 4% após problemas informáticos
Reuters
Rita Faria 30 de maio de 2017 às 10:10

As acções da IAG, dona da British Airways, estão a desvalorizar 2,85% para 596,50 pence, depois de terem chegado a afundar um máximo de 4,48% para 586,50 pence.

 

Este é o primeiro dia de negociação dos títulos da IAG depois dos problemas informáticos que impediram o normal funcionamento da companhia aérea no fim-de-semana, já que a bolsa de Londres esteve encerrada na segunda-feira, devido à comemoração do Spring Banking Holiday.

 

A queda de quase 4,5% é a mais pronunciada descida intradiária desde 9 de Novembro de 2016 – as eleições nos Estados Unidos que deram a vitória a Donald Trump – dia em que as acções chegaram a afundar 5,26%.

 

No fim-de-semana, a British Airways viu-se obrigada a cancelar todos os voos a partir de Gatwick e Heathrow devido a uma falha informática que impediu a realização do "check-in" dos passageiros e processamento de bagagens.

 

Entre indemnizações, pagamento de estadia e alimentação aos passageiros, os problemas informáticos poderão custar à companhia mais de 100 milhões de libras (cerca de 115 milhões de euros).

 

À Bloomberg, analistas disseram que, embora a retomada dos voos signifique que o impacto financeiro será contido, a companhia não se livrará de danos reputacionais por causa do incidente.

 

Alex Cruz, CEO da British Airways, já garantiu que a empresa vai realizar uma investigação completa para descobrir o que aconteceu e evitar que isso ocorra novamente.

 

Além da British Airways, a IAG detém também a Iberia, a Aer Lingus e a Vueling. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub