Bolsa Dow e S&P fecham em máximos. Nasdaq cai pressionado pela Apple

Dow e S&P fecham em máximos. Nasdaq cai pressionado pela Apple

As bolsas americanas fecharam com variações ténues. Ainda assim, os valores de fecho do S&P500 e do Dow Jones são os mais elevados de sempre. Já o Nasdaq acabou por ser arrastado pela Apple, que perdeu mais de 2%.
Dow e S&P fecham em máximos. Nasdaq cai pressionado pela Apple
Reuters
Sara Antunes 19 de outubro de 2017 às 21:52
As bolsas americanas fecharam o dia com variações ligeiras, em especial o Dow Jones e o S&P500. No primeiro caso, a subida foi de 0,02% para 23.163,04 pontos e no caso do S&P500 a valorização foi de 0,03% para 2.561,10 pontos. Apesar de pequenas, estas subidas levaram os índices para o valor de fecho mais elevado de sempre. 

Já o Nasdaq não resistiu à queda superior a 2% da Apple. O índice fechou o dia a cair 0,29% para 6.605,067 pontos. A tecnológica caiu 2,37% para 155,98 dólares, depois de ter sido noticiado que a procura pela iPhone está a ser inferior à prevista. 

A animar as bolsas esteve, essencialmente, uma notícia que aponta para que Donald Trump esteja prestes a anunciar o sucessor de Janet Yellen. A presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA esteve ainda esta quinta-feira reunida com o presidente dos EUA - sem que tenham sido proferidas quaisquer declarações ou emitidos comunicados - e constará na lista dos potenciais presidentes da Fed a partir do próximo ano, mas o jornal Politico diz que depois desta reunião aumentou a expectativa de que Yellen será mesmo substituída no final do mandato (Fevereiro de 2018). E o seu sucessor, de acordo com a mesma publicação, deverá ser ser Jerome Powell, um defensor de políticas monetárias mais suaves. 

Esta perspectiva animou as bolsas, mas penalizou o dólar, já que o nome apontado tem uma ideologia que aponta para subidas de juros mais moderadas do que as de outros candidatos. O euros está a subir 0,57% para 1,855 dólares.

Nas bolsas americanas, um dos sectores que mais contribuiu para a subida dos índices foi o farmacêutico, com a Pfizer a subir mais de 1% para 36,24 dólares.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
5640533 Há 3 dias

Subidas mais moderadas das de Yellen? Como?

pub