Bolsa Dow Jones a caminho dos 20.000 pontos

Dow Jones a caminho dos 20.000 pontos

As principais bolsas do outro lado do Atlântico fecharam em alta, a estabelecerem novos máximos históricos, dada a convicção de que a esperada subida de juros pela Fed sinaliza uma confiança na solidez da economia. Os títulos da energia continuaram a dar gás aos mercados, sustentados pela subida do preço do petróleo.
Dow Jones a caminho dos 20.000 pontos
Carla Pedro 13 de dezembro de 2016 às 21:16

Em Wall Street, os índices bolsistas prosseguem o movimento de escalada, tendo voltado a marcar máximos de sempre na véspera de se conhecer a decisão de política monetária da Reserva Federal norte-americana.

 

O índice industrial fechou a ganhar 0,58% para 19.910,93 pontos, tendo na negociação intradiária tocado nos 19.953,75 pontos, valor nunca antes atingido e a ‘flirtar’ com o mítico patamar dos 20.000 pontos.

 

Este tem sido o índice mais sustentado pela perspectiva de um aumento dos gastos em infra-estruturas quando Donald Trump fora para a Casa Branca, no próximo dia 20 de Janeiro.

 

Também o S&P 500 encerrou a sessão em alta, a somar 0,7% para 2.271,63 pontos (recorde de fecho), depois de na negociação intradiária ter atingido um máximo de sempre nos 2.277,53 pontos. Na semana passada, o índice estabeleceu máximos históricos em quatro das cinco jornadas.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite avançou 0,95% para 5.463,82 pontos. Isto após ter estabelecido um novo máximo histórico, durante a sessão, nos 5.486,75 pontos.

 

A animar a negociação das bolsas norte-americanas estiveram sobretudo os títulos da energia – impulsionados pela continuação das subidas nos preços do petróleo – e as tecnológicas, com a Apple e a Intel a liderarem o movimento.

 

Os investidores aguardam pelo fim da reunião de dois dias da Reserva Federal norte-americana, amanhã, para conhecerem a sua decisão em matéria de política monetária. Os economistas inquiridos pela Bloomberg apontam para uma probabilidade de 100% de a Fed decidir aumentar os juros nesta reunião e a expectativa é a de que essa subida seja na ordem dos 25 pontos base.

 

O mercado considera que, a acontecer, será um sinal de confiança no reforço do crescimento da maior economia do mundo.

 

A autoridade monetária iniciou o movimento de subida das taxas de juro em Dezembro do ano passado, tendo os juros directores aumentado para um intervalo compreendido entre 025% e 0,50% (desde Dezembro de 2008 que estavam fixados no mais baixo nível de sempre, entre 0% e 0,25%).


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
jose antunes 13.12.2016

As bolsas americanas estão em ebulição. Só espero que não haja muitas instituições portuguesas a ir às compras. Está na hora de sair. Os Estados Unidos não têm economia para toda esta euforia. Está na hora de vender.
















pub