Bolsa Dow Jones continua em máximos e escapa às perdas de Wall Street

Dow Jones continua em máximos e escapa às perdas de Wall Street

Apesar de o industrial Dow Jones continuar a renovar máximos de sempre, as restantes principais praças norte-americanas inverteram face ao sentimento positivo verificado no início da sessão. O Nasdaq cai mesmo perto de 1%.
Dow Jones continua em máximos e escapa às perdas de Wall Street
Reuters
David Santiago 10 de Novembro de 2016 às 16:55

Ao contrário do início da sessão desta quinta-feira, 10 de Novembro, agora a tendência principal em Wall Street é negativa. Se o optimismo decorrente da convicção dos investidores de que as políticas de Donald Trump serão positivas para as empresas marcou a abertura da sessão agora reina em Wall Street a ideia de que estas assumpções foram demasiado longe e demasiado rápido.

 

A escapar à tendência agora dominante permanece o industrial Dow Jones que tem estado a renovar máximos históricos. Este índice está agora a valorizar 0,68% para 18.715,53 pontos, valor que representa um novo máximo de sempre.

 

Em sentido inverso, o Nasdaq Composite segue a perder 0,93% para 5.202,438 pontos e o Standard & Poor’s 500 está a recuar 0,52% para 2.152,01 pontos, isto num dia em que o S&P 500 já negociou em máximos de 8 de Setembro.


Depois da vitória de Trump Wall Street negociou em alta na quarta-feira, sentimento que se repetiu na abertura da sessão desta quinta-feira. A justificar este comportamento está a expectativa dos investidores quanto à possibilidade de a administração Trump poder adoptar políticas positivas para a economia em geral e os mercados em particular.

Contudo os investidores norte-americanos temem que o optimismo em relação ao presidente eleito tenha ido longe demais e demasiado rápido, explica a agência Bloomberg.

 

A liderar esta inversão está o sector tecnológico, em particular a Amazon que segue a perder 4,41% para 737,84 dólares, Nota ainda para o Facebook que desliza 3,89% para 118,384 dólares, a Apple que resvala 2,73% para 107,85 dólares e ainda para a Microsoft que cai 2,66% para 58,6067 dólares.

 

Por outro lado, os sectores financeiro e das farmacêuticas, que estavam a contribuir de forma mais determinante para os acentuados ganhos no início da sessão de hoje, apesar de continuarem em terreno positivo estão agora a transaccionar com ganhos mais moderados. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub