Bolsa Dow Jones e S&P 500 em máximos de sempre à espera da Fed

Dow Jones e S&P 500 em máximos de sempre à espera da Fed

As principais praças norte-americanas abriram em alta numa altura em que o preço do petróleo está a subir e num momento em que se aguarda pela primeira decisão da Fed desde as eleições presidenciais. O Dow Jones está novamente em máximos, acompanhado pelo S&P 500.
Dow Jones e S&P 500 em máximos de sempre à espera da Fed
Reuters
David Santiago 13 de Dezembro de 2016 às 14:55

O índice industrial Dow Jones abriu a sessão desta terça-feira, 13 de Dezembro, a somar 0,44% para 19.882,77 pontos, tendo mesmo tocado nos 19.885,51 pontos o que representa um novo máximo de sempre, isto depois de ontem ter voltado a registar um novo máximo histórico. Este índice continua a ser o mais impulsionado pela expectativa em torno do plano económico do presidente eleito Donald Trump, que deverá incidir num importante aumento da despesa em infra-estruturas.

 

Já o tecnológico Nasdaq Composite começou o dia a ganhar 0,50% para 5.439,867 pontos, enquanto o Standard & Poor’s 500 iniciou a sessão a apreciar 0,36% para 2.265,06 pontos tendo mesmo chegado a negociar nos 2.265,27 pontos, o que configura um novo máximo histórico para este índice.

 

Nesta altura reina em Wall Street a expectativa pelo encontro de dois dias da Reserva Federal dos Estados Unidos, que principia esta terça-feira e que culmina amanhã com o anúncio da decisão sobre a política monetária da instituição liderada por Janet Yellen.

 

Os investidores acreditam que a primeira decisão desde a vitória de Trump nas presidenciais norte-americanas passará pelo aumento das taxas de juro, o que a verificar-se será o segundo aumento do custo do dinheiro no espaço de um ano. Os investidores atribuem uma probabilidade de 100% de que amanhã a Fed anuncie um aumento dos juros e 77% dos economistas consultados pela Bloomberg considera que o dito aumento será de 25 pontos base. 

Também a contribuir para o optimismo nas principais praças norte-americanos está a subida do preço do petróleo. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) segue a subir 0,45% para 53,07 dólares por barril, e em Londres o Brent está a crescer 0,48% para 55,96 dólares. 

A impulsionar o preço da matéria-prima está a previsão feita pela Agência Internacional de Energia (AIE) que antecipa que os mercados petrolíferos irão passar do actual excedente de produção para uma situação deficitária logo na primeira metade de 2017, consequência do acordo da organização dos países exportadores de petróleo (OPEP) para o corte da produção a partir de Janeiro. 

A beneficiar do comportamento do petróleo nos mercados internacionais, a Exxon começou o dia a somar 0,53% para 91,46 dólares e a Chevron a avançar 0,73% para 118,01 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub