Bolsa Dow Jones em máximos com optimismo face ao corte de impostos

Dow Jones em máximos com optimismo face ao corte de impostos

As principais praças dos Estados Unidos abriram a sessão em alta, mantendo a toada de ganhos que na quinta-feira permitiu ao Dow Jones e ao S&P 500 registarem novos valores recorde. O índice industrial começou o dia a renovar máximos perante o optimismo dos investidores em relação aos cortes fiscais da administração Trump.
Dow Jones em máximos com optimismo face ao corte de impostos
Jeff Christensen/Reuters
David Santiago 20 de outubro de 2017 às 14:40

O índice Dow Jones abriu a sessão desta sexta-feira, 20 de Outubro, a somar 0,30% para 23.231,50 pontos, tendo de seguida tocado nos 23.244,65 pontos, que representa o valor mais alto de sempre do índice industrial.

 

O Standard & Poor’s 500 iniciou a última sessão desta semana a ganhar 0,26% para 2.568,65 pontos, enquanto o Nasdaq Composite abriu a sessão a crescer 0,41% para 6.631,992 pontos. Ambos os índices estão a negociar próximos de novos máximos. 

A apoiar o optimismo em Wall Street está a convicção de investidores americanos de que o plano económico, e consequente reforma fiscal, prometido pela administração liderada por Donal Trump está mais próximo da implementação.

Isto depois de o Senado do Congresso americano, câmara em que os republicanos têm maioria, ter votado com 51 votos favoráveis e 49 contra o plano económico de Trump.

A redução da carga fiscal aplicada a famílias e empresas estão a impulsionar Wall Street, em especial perante a expectativa das empresas de que menos impostos ajudem ao crescimento da maior económica mundial e ao acelerar da taxa de inflação, que permanece aquém da meta de 2% definida como objectivo pela Reserva Federal dos Estados Unidos. 

Pela positiva, o destaque nesta abertura da negociação bolsista está a Skechers que está a disparar 35,25% para 32,50 dólares, isto depois de a marca desportiva ter obtido lucros acima do estimado, muito devido ao aumento das vendas nos mercados externos.

 

Em destaque pela negativa neste início de sessão está a General Electric que recua 3,60% para 22,75 dólares, com a eléctrica a ter já tocado no valor mais baixo em mais de quatro anos. O que acontece depois de a cotada ter reportado lucros que ficaram abaixo das estimativas e de, em consequência, ter reduzido as perspectivas para o total do ano. 


(Notícia actualizada às 14:51)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub