Bolsa Dow Jones em novos máximos no arranque da semana

Dow Jones em novos máximos no arranque da semana

O índice industrial Dow Jones negoceia num novo máximo histórico, após ter valorizado mais de 5% na última semana, o maior ganho semanal desde 2011.
Dow Jones em novos máximos no arranque da semana
Reuters
Rita Faria 14 de Novembro de 2016 às 14:40

Os principais índices norte-americanos iniciaram a sessão desta segunda-feira, 10 de Novembro, em alta ligeira, numa altura em que o dólar está a ganhar terreno e o petróleo em queda nos mercados internacionais.  

O índice industrial Dow Jones ganha 0,30% para 18.904,85 pontos, um novo máximo histórico. Já o Nasdaq está inalterado nos 5.237,55 pontos, e o S&P que, completou, na sexta-feira, a maior valorização semanal desde Outubro de 2014, valoriza 0,1% para 2.167,33 pontos.

A Bloomberg destaca que as eleições presidenciais nos Estados Unidos dividiram o mercado de acções em vencedores e perdedores, com base na especulação sobre a forma como as políticas de Donald Trump terão impacto em cada um dos sectores.

As acções ligadas ao sector industrial tiveram um desempenho positivo, animadas pelos planos de Trump de aumentar a despesa pública em infra-estruturas. Além destas, também os bancos e as farmacêuticas beneficiaram da expectativa de que o presidente eleito reverta alguns dos regulamentos mais pesados para estes sectores.

Por outro lado, as empresas ligadas à tecnologia foram penalizadas pelos receios em torno da abordagem prometida por Trump relativamente ao comércio.

A eleição de Trump está ainda a aumentar as expectativas de uma subida dos juros por parte da Fed já em Dezembro.

Segundo a Bloomberg, as apostas aumentaram para 90%., antes de serem conhecidos os dados sobre as vendas a retalho e produção industrial, que darão mais pistas sobre a resiliência da economia dos Estados Unidos.

Com a época de resultados a chegar ao fim, a Home Depot, Cisco Systems, Gap e Wal-Mart Stores estão entre as empresas que apresentam as suas contas esta semana. Entre as companhias do S&P500 que já divulgaram os seus números até ao momento, 56% superou as estimativas de vendas e 76% as projecções para os lucros.

 

 

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Mas então o Trump não ia rebentar com tudo ?? Eh, eh,...ai estes jornalistas...então não ia ser uma catástrofe se ele ganhasse ? Afinal o que se vê é uma onda de optimismo...! Certo, certo, é que não é bom nem pro Costa , nem pra Catarina. O Jerónimo é fino...nunca se comprometeu !

Lr Há 2 semanas

Boas perspectivas no combate e perseguição da corrupção e seus agentes...

Eduardo Nuno Barros Mascarenhas Há 2 semanas

efeito trump....lá se vão as economias socialistas á vida....

pub
pub
pub
pub