Bolsa Dow Jones prolonga série a marcar novos recordes

Dow Jones prolonga série a marcar novos recordes

Wall Street iniciou a semana em alta, o que já permitiu ao Dow Jones estabelecer um novo máximo de sempre, o que acontece pela nona vez consecutiva para o índice industrial.
Dow Jones prolonga série a marcar novos recordes
Reuters
David Santiago 07 de agosto de 2017 às 14:40

O Dow Jones abriu a sessão desta segunda-feira, 7 de Agosto, a somar ligeiros 0,03% para 22.099,00 pontos, sendo que logo depois escalou para os 22.106,99 pontos, valor que representa um novo máximo histórico e que eleva para nove o número de sessões seguidas a registar novos recordes.

Isto depois de na sexta-feira este índice industrial ter registado um novo máximo de sempre e também um novo recorde de fecho. Na sexta-feira, o Dow Jones estabeleceu um novo máximo de sempre pela oitava sessão consecutiva.

 

Também o Nasdaq Composite e o Standard & Poor’s 500 seguem a tendência de ganhos que se mantém desde a última sessão, com o índice tecnológico a subir 0,15% para 6.360,879 pontos, e o S&P 500 inalterado nos 2.476,69 pontos.

 

Ainda a animar Wall Street estão os dados positivos em relação à evolução da economia norte-americana, mais concretamente do mercado laboral. Isto depois de na sexta-feira terem sido divulgados dados que mostraram a criação de novos postos de trabalho a um ritmo superior ao estimado pelos analistas e a queda da taxa de desemprego para 4,3%.

 

Os investidores acreditam que estes números deverão reforçar a intenção já anunciada pela Reserva Federal dos Estados Unidos de começar a reduzir, já no próximo mês de Setembro, o plano de compra de obrigações actualmente fixado em 4,2 biliões de dólares.

 

Por outro lado, os investidores também se mostram crescentemente convictos de que a Fed irá decretar uma nova subida dos juros em Dezembro, o que a acontecer elevará para três o número de aumentos dos juros em 2017.

A influenciar Wall Street neste início de sessão está ainda o petróleo que segue a cair mais de 1% tanto em Nova Iorque (WTI) como em Londres (Brent), estando assim o preço do crude a recuar do máximo de nova semanas atingido na última sessão, o que acontece devido a aumentos da produção petrolífera dos Estados Unidos e da OPEP. Isto está a reflectir-se na negociação da Exxon e da Chevron, com a primeira a recuar 0,36% para 79,92 dólares e a segunda a perder 0,23% para 109,86 dólares.

 

Também a centrar as atenções dos investidores está o crescimento da tensão entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, o que acontece depois de no fim-de-semana as Nações Unidas terem aprovado uma nova vaga de sanções contra o regime norte-coreano.

 

Em alta está a negociar a Tyson Foods que soma 6,78% pata 67,59 dólares por acção depois de a empresa de processamento de carnes ter registado lucros e vendas no segundo trimestre que superaram as expectativas dos analistas. 


(Notícia actualizada às 14:47)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub