Bolsa Dow Jones renova recordes após Fed e à espera de resultados

Dow Jones renova recordes após Fed e à espera de resultados

Os investidores estiveram hoje atentos às minutas da última reunião da Reserva Federal e aguardam com expectativa os resultados dos grandes bancos norte-americanos.  
Dow Jones renova recordes após Fed e à espera de resultados
Reuters
Nuno Carregueiro 11 de outubro de 2017 às 21:20

As bolsas norte-americanas fecharam a sessão de quarta-feira em alta ligeira, ainda assim suficiente para que o Dow Jones fixasse um novo máximo histórico.

 

O índice que reúne as 30 principais cotadas de Wall Street avançou 0,18% para 22.872,89 pontos. O Nasdaq subiu 0,25% para 6.603,54 pontos e o S&P500 ganhou 0,18% para 2.555,19 pontos, sendo que os ganhos destes dois índices não foram suficientes para quebrar os máximos históricos que foram fixados na sessão de terça-feira.

 

As minutas da reunião de Setembro da Reserva Federal mostram que vários responsáveis do banco central mostraram preocupação sobre o impacto que uma subida de juros em Dezembro poderá ter na inflação, que teima em permanecer abaixo da meta dos 2%.

 

Ainda assim, o mercado continua a atribuir uma forte probabilidade a um terceiro aumento de juros em 2017. "Não mudou a opinião que a Fed provavelmente vai subir os juros na reunião de Dezembro", comentou à Reuters Art Hogan, da Wunderlich Securities em Nova Iorque.

 

Depois das minutas da Fed não terem provocado grandes alterações nas cotações das acções, os investidores estão agora de olhos postos nos resultados das empresas no terceiro trimestre, sobretudo no sector financeiro.

 

A BlackRock e a Delta Airlines deram o tiro de partida nesta época de apresentação de contas, mas o foco dos investidores está nos números do JPMorgan Chase e Citigroup, esperados para amanhã.

 

As acções da Delta Air Lines ganharam 0,7% para 53,07 dólares, depois de a empresa ter reportado lucros de 1,57 dólares por acção no período entre Julho e Setembro, acima das estimativas dos analistas consultados pela Reuters, que apontavam para 1,53 dólares. As receitas fixaram-se em 11,06 mil milhões de dólares, ligeiramente acima do antecipado pelos especialistas (11,03 mil milhões de dólares).

 

Já a BlackRock viu os seus lucros aumentarem 8,2% para 947 milhões de dólares, um resultado beneficiado pelo aumento do valor arrecadado com comissões, sobretudo nos fundos de índice (ETF). Os títulos subiram 1,89% para 473,93 dólares.

 

De acordo com os dados compilados pela Reuters, os analistas esperam que os lucros das empresas do S&P500 tenham subido 4,8% entre Julho e Setembro, uma evolução mais tímida dos que as subidas de dois dígitos registadas nos dois primeiros trimestres do ano.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub