Bolsa EDP baixa estimativas de lucros para o ano mas mantém dividendo

EDP baixa estimativas de lucros para o ano mas mantém dividendo

As acções da eléctrica estão a descer praticamente 4%, depois de a empresa ter piorado as estimativas de lucros para o conjunto do ano. O dividendo mantém-se em 0,19 euros.
EDP baixa estimativas de lucros para o ano mas mantém dividendo
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 03 de novembro de 2017 às 11:30

Depois de ter revelado ontem os seus resultados do terceiro trimestre, a EDP reviu em baixa as estimativas para os lucros e EBITDA relativos ao conjunto do ano.

Num documento publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a eléctrica situa entre 850 e 900 milhões de euros o resultado líquido recorrente esperado para 2017, o que compara com a anterior estimativa de um valor igual ou superior a 919 milhões de euros.

Para o EBITDA recorrente, a empresa liderada por António Mexia colocava a fasquia nos 3,6 mil milhões de euros, admitindo agora um intervalo mais recuado, entre 3,5 e 3,6 mil milhões.

A justificar esta revisão estão algumas adversidades na produção e comercialização na Península Ibérica, entre as quais volumes hídricos mais baixos do que o esperado, aumento dos preços das bolsas de electricidade e maiores custos regulatórios.

Apesar da revisão em baixa, a EDP mantém o dividendo em 0,19 euros por acção.

Resultados "fracos"

Esta sexta-feira, na sequência dos resultados do terceiro trimestre, os analistas do BPI já haviam referido que os números "fracos" poderiam comprometer as metas estabelecidas para este ano.

"À luz dos resultados dos primeiros nove meses, a meta da empresa de um resultado líquido recorrente de 919 milhões de euros em 2017 parece um objectivo difícil, já que que precisa de um crescimento homólogo de 11% dos lucros por acção no quarto trimestre – um objectivo exequível mas difícil tendo em conta as condições atmosféricas adversas na Península Ibérica", destacaram os analistas do BPI, numa nota de análise.

O comentário surge depois de a empresa liderada por António Mexia ter revelado, após o fecho do mercado, que os seus lucros subiram 86% para 1.147 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, beneficiados por ganhos não recorrentes que incluem 61 milhões de euros resultantes da venda de centrais hídricas no Brasil e 558 milhões de euros da venda da Naturgas em Espanha. Eliminando estes efeitos extraordinários, o EBITDA recuou 4% para 2.711 milhões de euros.

 

As acções da EDP descem 3,94% para 2,976 euros, depois de terem chegado a afundar um máximo de 4,13% para 2,97 euros. 




Saber mais e Alertas
pub