Research EDP desce mais de 3% após resultados sem surpresas positivas para os analistas

EDP desce mais de 3% após resultados sem surpresas positivas para os analistas

O BPI diz que os resultados da eléctrica foram "fracos" e que podem estar comprometidas as metas definidas para este ano.
EDP desce mais de 3% após resultados sem surpresas positivas para os analistas
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 03 de novembro de 2017 às 10:32

Depois de uma primeira reacção positiva, as acções da EDP já estão a afundar na bolsa nacional, na sequência dos resultados do terceiro trimestre, divulgados na quinta-feira.  

 

Os títulos descem 3,23% para 2,998 euros, depois de terem chegado a deslizar um máximo de 3,71% para 2,983 euros.

 

A empresa liderada por António Mexia revelou, após o fecho do mercado, que os seus lucros subiram 86% para 1.147 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, beneficiados por ganhos não recorrentes que incluem 61 milhões de euros resultantes da venda de centrais hídricas no Brasil e 558 milhões de euros da venda da Naturgas em Espanha.

 

Eliminando estes efeitos extraordinários, o EBITDA recuou 4% para 2.711 milhões de euros, um resultado que ficou "em linha" com as estimativas do BPI.

 

Numa nota de análise, o banco de investimento diz, porém, que os resultados da eléctrica foram "fracos" e que poderá estar comprometida a meta definida para este ano.

 

"À luz dos resultados dos primeiros nove meses, a meta da empresa de um resultado líquido recorrente de 919 milhões de euros em 2017 parece um objectivo difícil, já que que precisa de um crescimento homólogo de 11% dos lucros por acção no quarto trimestre – um objectivo exequível mas difícil tendo em conta as condições atmosféricas adversas na Península Ibérica", sublinham os analistas.

 

O Haitong também se mostra cauteloso, admitindo que a evolução das acções poderá continuar a ser desfavorável, nomeadamente depois das decisões regulatórias negativas em Portugal, "que poderão travar uma recuperação de curto prazo" no sentimento dos investidores em relação à EDP.

 

No que respeita aos resultados, ficaram "acima do consenso" e das próprias estimativas do Haitong para o EBITDA ajustado, ainda que a redução da dívida tenha sido limitada "por alguns efeitos temporários".

 

Em termos operacionais, os resultados da EDP também estiveram alinhados com as expectativas do CaixaBI que, numa nota de research, destacam que os números "foram afectados por condições atmosféricas desfavoráveis e pela desconsolidação da Naturgas, mas que foi mais do que compensado pela mais-valia registada com a venda dos activos de gás em Espanha".

 

Das três unidades de investimento, o CaixaBI é a única que tem a recomendação de "comprar" para as acções, e um preço-alvo de 3,50 euros (16,7% acima da cotação actual). O ‘target’ mais elevado é atribuído pelo BPI, 3,70 euros, 23,4% acima da cotação.

 

O Haitong manteve o preço-alvo de 3,10 euros e a recomendação "neutral".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




Saber mais e Alertas
pub