Bolsa EDP e Galp colocam bolsa de Lisboa na linha de água

EDP e Galp colocam bolsa de Lisboa na linha de água

O início da última sessão do ano está a ser de perdas ligeiras em Lisboa e no resto da Europa. O BCP continua a recuperar de mínimos históricos enquanto o PSI-20 se encaminha para um balanço anual negativo em 12%.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 30 de dezembro de 2016 às 08:11
A derradeira sessão do ano está a ser de quedas muito ligeiras para a bolsa portuguesa, que alinha assim com as pares europeias. O principal índice nacional caminha hoje para encerrar 2016 com um balanço negativo, de cerca de 12%, depois de as praças asiáticas terem encerrado mistas e Nova Iorque ter terminado o dia no vermelho.

O PSI-20 recua 0,04% para os 4.666,38 pontos, com oito títulos em queda, seis em terreno positivo e quatro inalterados, depois de os últimos dias terem sido marcados pela reduzida liquidez típica deste período de final de ano.

A contribuir para as quedas estão as acções do universo EDP (a EDP Renováveis cai 0,07% para 5,94 euros e a EDP cede 0,48% para 2,911 euros). As retalhistas Sonae e Jerónimo Martins juntam-se ao tom vermelho, a recuarem cerca de 0,25%.

Já o avanço da Galp (0,18% para 14,23 euros) impede maiores recuos da praça portuguesa, numa altura em que os preços do petróleo nos mercados internacionais registam valorizações ligeiras. O West Texas Intermediate ganha 0,39% em Nova Iorque - para 53,98 dólares - , ao passo que em Londres o barril de Brent cota em 57,12 dólares, uma subida de 0,47%.

Também o BCP está entre os títulos que valorizam em Lisboa (0,1% para os 1,051 euros), a recuperar de mínimo histórico e a encaminhar-se para um final de ano que pode vir a ser o pior para a acção desde 2011.

O comportamento do sector financeiro é indefinido, com o BPI inalterado nos 1,128 euros, à espera que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários proceda ao registo da OPA sobre o banco português, em que são oferecidos 1,134 euros por acção.

As unidades de participação do Montepio recuam 0,24% para 42 cêntimos, depois de a assembleia-geral da caixa económica ter pedido que o Montepio garanta que cumpre os objectivos do mutualismo e dois dias depois de conhecidos os reparos dos Banco de Portugal a falhas no controlo de branqueamento de capital no banco.

Entre as praças europeias, apenas Milão se destaca com ganhos (0,13% para 19.228,55 pontos), com o sector financeiro entre os ganhos, numa sessão em que o banco Monte dei Paschi continua com a negociação suspensa.

(Notícia actualizada às 8:26 com mais informação)



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
zeca 30.12.2016

Pois e a injeção de mais de 500 milhões de ações dos chinocas no mercado

ALBINO MATEUS 30.12.2016

EDP, COM AGRAVAMENTO DA DIVIDA MAIS DE 1.000 MILHÕES SÓ NO 1º SEMESTRE DESTE ANO, UMA DÍVIDA COLOSSAL A RONDAR OS 18.000 MILHÕES, NÃO ESPEREM MILAGRES, PORQUE A COTAÇÃO EM BREVE NOS 2.50 EUROS

pub