Bolsa EDP Renováveis fecha acima de 6,75 euros após fim da OPA

EDP Renováveis fecha acima de 6,75 euros após fim da OPA

As acções da EDP Renováveis negociaram em alta no dia em que terminou a OPA da EDP.  
EDP Renováveis fecha acima de 6,75 euros após fim da OPA
Bruno Simão/Negócios

Foi uma constante desde que a EDP lançou a OPA e persiste mesmo depois de ter terminado o prazo da oferta. As acções da EDP Renováveis fecharam a sessão a subir para 6,766 euros, uma cotação que se encontra 2,4% acima da contrapartida da oferta da empresa liderada por António Mexia, nos 6,75 euros.

 

O prazo da oferta terminou esta quinta-feira, às 15:00, sendo que a EDP avisou já na semana passada que não iria melhorar o preço da OPA, o que não impediu a EDP Renováveis de transaccionar quase sempre acima desta fasquia.

 

Vários accionistas da EDP Renováveis já avisaram que não iriam vender na OPA a 6,75 euros, sendo que os que permanecem com títulos em carteira especulam que terão pelo menos a oportunidade de vender ao preço da oferta, caso a eléctrica liderada por António Mexia avance para a retirada da sua subsidiária de energias limpas de bolsa.

 

Se na OPA a EDP conseguir mais de 90% do capital e obtiver mais de 90% do capital sob oferta, avança com a OPA potestativa, em que os accionistas serão obrigados a vender a 6,75 euros. Neste cenário, a EDP pode avançar para a retirada da Renováveis de bolsa, conforme já sinalizou. 

 

Se apenas conseguir os 90% dos direitos de voto da empresa de energias verdes (neste momento, tem 77,5%), e não conseguir os 90% dos direitos sob oferta, a EDP propõe avançar com uma ordem irrevogável de compra, no valor de 6,75 euros. Uma ordem permanente de compra que terá "um prazo máximo de três a seis meses após a aprovação do pedido de exclusão de negociação". 

  

Caso não consiga ter sucesso na OPA potestativa, ou conseguir superar os 90% do capital da EDP Renováveis, a EDP pode avançar para uma fusão trans-fronteiriça com a EDP Renováveis que terá como consequência a retirada da Renováveis de bolsa.

 

Dois dos accionistas da EDP Renováveis já vieram a público dizer que não aceitam vender nesta OPA por 6,75 euros. Um deles é a MFS Investment, gestora norte-americana que detém 4% do capital social e direitos de voto da EDP Renováveis, representando 18,3% das acções que estão sob oferta. Também a gestora de activos britânica Ecofin defende que os 6,75 euros oferecidos pela EDP na OPA à Renováveis são baixos e rejeita vender.

 

Os resultados da oferta serão conhecidos esta sexta-feira, em sessão especial de bolsa a decorrer na Euronext Lisbon.


 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub