Bolsa Eleições dão 15.º dia seguido de ganhos ao japonês Nikkei. Nunca tinha acontecido

Eleições dão 15.º dia seguido de ganhos ao japonês Nikkei. Nunca tinha acontecido

Os resultados eleitorais, que dão a vitória folgada ao primeiro-ministro Shinzo Abe, trazem a expectativa de manutenção das políticas empreendidas até aqui. As bolsas subiram animadas, o iene caiu.
Eleições dão 15.º dia seguido de ganhos ao japonês Nikkei. Nunca tinha acontecido
Reuters
Diogo Cavaleiro 23 de outubro de 2017 às 07:39

As eleições no Japão, que deram a vitória ao actual primeiro-ministro Shinzo Abe, renderam a 15.ª sessão de valorizações ao índice japonês Nikkei.

 

Desde 2 de Outubro que o índice bolsista nipónico tem apenas um sentido: subida. Nas 15 sessões que já se registaram neste mês, foi sempre na cor verde que o Nikkei encerrou. Esta segunda-feira, 23 de Outubro, repetiu-se: um ganho de 1,11% para encerrar nos 21.696,65 pontos.

 

Nunca tinha acontecido uma valorização por 15 dias seguidos deste índice. O inédito ciclo levou o Nikkei a pontuações que não eram registadas desde 1996. Ganhos que têm ocorrido por conta da expectativa – e agora confirmação – da continuação das políticas de Abe.

 

Da mesma forma, também o japonês Topix marcou a 11ª subida consecutiva, fechando com um ganho superior a 0,8%, estando nos valores mais altos da última década. A moeda japonesa, por sua vez, segue a perder terreno face ao dólar americano, o que contribuiu para os ganhos bolsistas, tendo em conta o impulso dado às empresas exportadoras que ganham com uma moeda com menor valor. O iene esteve a cair mais de 0,5% e segue a negociar nos 113,72 ienes por dólar.
 

Este domingo, a coligação liderada pelo primeiro-ministro venceu as eleições, conseguindo manter dois terços dos 465 assentos na câmara baixa do parlamento japonês. A questão dos dois terços é importante, tendo em conta a vontade de Abe (que é líder dos democratas liberais) de rever a Constituição nipónica. Foi o próprio que marcou eleições antecipadas, de modo a validar as políticas de defesa e segurança interna, devido às tensões que se têm vivido com a Coreia do Norte.

 

Na CNBC, o estratega da IG, Jinpgy Pan, comenta que, embora o resultado eleitoral fosse o esperado, a verdade é que a força dos resultados conseguidos "faz toda a diferença para os mercados". A mesma posição que é defendida pela BlackRock, citada pela Reuters. Como refere a Bloomberg, os resultados poderão vir a contribuir para a continuação das políticas de estímulos monetários e orçamentais – o programa que herdou o seu nome, Abenomics.

Ao Financial Times, Luke Bartholomew, da Aberdeen Standard Investments, argumentou que Shinzo consegue aqui uma extensão do mandato – dá condições para ser primeiro-ministro até 2021 – que dá força perante os investidores: "os mercados gostam de líderes fortes com mandatos prolongados".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub