Bolsa Energia leva PSI-20 a cair pela primeira vez em quatro sessões

Energia leva PSI-20 a cair pela primeira vez em quatro sessões

A bolsa nacional fechou em queda ligeira penalizadas pela EDP e REN, que viram as suas avaliações cortadas pelo Haitong. Na Europa, a maioria dos índices segue em alta.
Energia leva PSI-20 a cair pela primeira vez em quatro sessões
Pedro Catarino/CM
Rita Faria 16 de outubro de 2017 às 16:47

A bolsa nacional fechou em queda esta segunda-feira, 16 de Outubro, depois de três sessões consecutivas de ganhos, com o PSI-20 a descer 0,10% para 5.452,53 pontos. Das 18 cotadas que compõem o principal índice nacional, 11 fecharam em queda, seis em alta e uma inalterada.

Na Europa, à excepção do PSI-20, do espanhol IBEX e do londrino Footsie, os principais índices seguem em alta, animadas pelas cotadas do sector da mineração, numa sessão em que o petróleo ganha mais de 0,5% nos mercados internacionais.

O espanhol IBEX cai 0,92%, depois de Carles Puigdemont não ter esclarecido – como foi pedido pelo Governo central – se declarou ou não a independência da Catalunha.

Na bolsa nacional, a EDP e a REN foram as que mais penalizaram o PSI-20. A EDP desceu 3,51% para 2,998 euros, depois de ter chegado a afundar um máximo de 4,80% para 2,958 euros, o valor mais baixo desde 28 de Julho.

Esta evolução aconteceu depois de terem sido actualizados pela ERSE os parâmetros regulatórios para o período 2018-2020 e as tarifas de electricidade para o próximo ano, que levaram o Haitong a cortar o preço-alvo para as acções da eléctrica para 3,10 euros e a recomendação para "neutral".

Também o CaixaBI e o BPI consideraram que as alterações apresentadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) vão ter um impacto negativo para a cotação da EDP, ainda que não tenham alterado a recomendação e o "target".

Os novos parâmetros regulatórios também impactaram a avaliação do Haitong para a REN, que viu o seu preço-alvo reduzido para 2,80 euros e a recomendação de "comprar" para "neutral". Os títulos da empresa liderada por Rodrigo Costa desceram 2,58% para 2,68 euros, depois de terem recuado um máximo de 4,29% para 2,633 euros.

Ainda na energia, a EDP Renováveis cedeu 0,41% para 7,034 euros e a Galp Energia ganhou 0,42% para 15,49 euros. A petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva chegou a valorizar um máximo de 15,53 euros na sessão – um máximo de Fevereiro de 2011 – depois de ter anunciado que produziu mais petróleo no terceiro trimestre.  

Do lado dos ganhos, destaque para a Altri, que atingiu um no máximo histórico de 5,486 euros, apesar de ter abrandado a subida no fecho da sessão para 1,58% para 5,453 euros. 

Também o BCP valorizou 2,35% para 25,72 cêntimos, enquanto a Nos subiu 1,24% para 5,311 euros.  




A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Phirolito Há 4 dias

Ainda vamos ver quem foram os parvos. Só espero que tenham sido parvos que diversificaram para não perderem tudo.

comentários mais recentes
Pirata Há 4 dias

Eu vendi as minhas cedo de mais .mas ganhei .boa sorte pra quem ficou.depois do dia 23 logo se vê. Se volto a comprar

Pirata Há 4 dias

Até dia 23 não passa dos 52.53 depois. !!!!!

Phirolito Há 4 dias

Ainda vamos ver quem foram os parvos. Só espero que tenham sido parvos que diversificaram para não perderem tudo.

Pharolito Há 4 dias

Ó meus amigos. Eu não sou nenhum jogador do casino. Sou um estudioso das ações de PHAROL/OI e nos ultimos 2 meses temho avertado 98% das vezes. Amanha 0.52/0.53.

ver mais comentários