Bolsa Energia sustenta PSI-20 apesar de forte queda do BCP

Energia sustenta PSI-20 apesar de forte queda do BCP

A bolsa nacional foi animada pelas cotadas da energia e do sector da pasta e do papel, que suportaram os ganhos do PSI-20 apesar da forte queda de 4,5% do BCP.
Energia sustenta PSI-20 apesar de forte queda do BCP
Pedro Catarino/CM
Rita Faria 11 de setembro de 2017 às 16:45

A bolsa nacional encerrou em alta esta segunda-feira, 11 de Setembro, pela segunda sessão consecutiva, com o PSI-20 a valorizar 0,11% para 5.107,22 pontos. Das 19 cotadas que formam o principal índice nacional, 13 fecharam em alta, cinco em queda e uma inalterada.

Apesar da subida, o PSI-20 foi o índice europeu que menos valorizou na Europa, num dia em que as acções foram animadas pelo impacto inferior ao esperado do Irma, nos Estados Unidos. Por outro lado, receava-se que a Coreia do Norte pudesse lançar outro míssil no fim-de-semana, na comemoração dos 69 anos da independência, o que acabou por não acontecer.

Este alívio dos receios acabou por favorecer as acções e penalizar os activos de refúgio, como o ouro, que está a descer de máximos de mais de um ano, atingidos na sessão de sexta-feira.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 1,02% para 379,33 pontos.

Na bolsa nacional, os ganhos foram suportados pelas cotadas do sector da energia e da pasta e do papel. A EDP valorizou 1,35% para 3,296 euros, enquanto a EDP Renováveis ganhou 0,63% para 6,997 euros, no dia em que foi revelado que um consórcio liderado pela empresa ganhou em leilão um contrato no Reino Unido para o fornecimento, ao longo de 15 anos, de 950 MW de energia de geração eólica a partir de um parque eólico offshore (no mar).

Ainda na energia, a REN subiu 0,90% para 2,789 euros e a Galp ganhou 1,43% para 14,185 euros, num dia em que o crude de Nova Iorque negoceia em terreno positivo e o Brent em queda.

No sector da pasta e do papel, a Navigator valorizou 2,5% para 3,655 euros, a Altri ganhou 3,55% para 3,758 euros e a Semapa subiu 2,07% para 15,25 euros, beneficiando da desvalorização do euro face ao dólar depois das fortes subidas.

Do lado dos ganhos destacaram-se ainda a Corticeira Amorim, a Sonae e a Jerónimo Martins. A Corticeira Amorim ganhou 1,78% para 11,425 euros, a Sonae subiu 1,07% para 94,2 cêntimos e a Jerónimo Martins avançou 0,21% para 16,64 euros.

Estas subidas ajudaram a compensar a forte descida do BCP, que voltou para terreno negativo depois da subida de 6,12% registada na sessão de sexta-feira. Os títulos do banco liderado por Nuno Amado recuaram 4,63% para 20,19 cêntimos.

Além do BCP, também a Ibersol, a Novabase e os CTT encerraram com sinal vermelho. 


(Notícia actualizada às 17:09)




A sua opinião43
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
tino de râs 12.09.2017

Criador de Touros por seres um fdp de direita, o bcp fode.te bem esse rabo
estares a perder mais de 280% desde 2014 , que tens o que mereces
depois diz que é da esquerda e do massa bruta
es um psicopata que andas por aqui
um doente psiquiatrico
que ainda dizes aos outros para comprarem bcp

BCP vs Fosun 11.09.2017

A Fosun tem comprado o bcp á custa do pequeno acionista, o criador de touros q o diga! A Sonangol tb achou q o bcp era bom negocio e vejam quanto já lá perdeu! A desconfiança é tanta q já ninguém quer saber do bcp...

Anónimo 11.09.2017

O dos 800% é o socialista massa bruta...LOL

Anónimo 11.09.2017

O massa bruta é um pacóvio do norte sabe tanto de bolsa como eu sei do negócio do mexilhão.

ver mais comentários