Bolsa Energia tira gás à bolsa e atira PSI-20 para as quedas

Energia tira gás à bolsa e atira PSI-20 para as quedas

A bolsa nacional acompanha o pessimismo dos principais índices bolsistas da Europa, que interromperam ontem a mais longa série de ganhos dos últimos 19 meses. EDP e Galp são as cotadas que mais penalizam.
Energia tira gás à bolsa e atira PSI-20 para as quedas
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 17 de fevereiro de 2017 às 09:58

A bolsa nacional já inverteu a tendência positiva do início da sessão, penalizada pelas cotadas do sector da energia. Nesta altura, o PSI-20 desce 0,33% para 4.613,65 pontos, depois de três sessões consecutivas de ganhos. Das 17 cotadas que formam o principal índice nacional, 11 estão em queda, cinco em alta e uma inalterada.

Na Europa, os principais índices também seguem em terreno negativo, depois de terem interrompido ontem a mais longa série de ganhos desde Julho de 2015. Esta sexta-feira, na ausência de indicadores económicos de relevância, o foco dos investidores vai estar na apresentação dos resultados das empresas relativos ao último trimestre de 2016.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, perde 0,38% para 368,68 pontos, penalizado sobretudo pelas cotadas do sector automóvel, mineiro e da energia.

São precisamente as empresas da área da energia as que mais pressionam o índice português esta manhã. A EDP recua 0,84% para 2,831 euros, a EDP Renováveis perde 0,34% para 6,226 euros e a Galp Energia desvaloriza 0,58% para 13,63 euros, numa altura em que o petróleo regista perdas inferiores a 0,5% nos mercados internacionais.

A contribuir para a descida do PSI-20 está também a Navigator, que desliza 0,81% para 3,447 euros. Ainda neste sector, a Altri, que atingiu máximos de Janeiro de 2016 na sessão de ontem, desce 1,23% para 4,254 euros, enquanto a Semapa avança 0,23% para 13,335 euros, depois de ter revelado na quarta-feira que os seus lucros aumentaram 40,9% em 2016 para 114,9 milhões de euros.

Por outro lado, a evitar a uma maior descida do PSI-20 estão o BCP e a Pharol. O banco liderado por Nuno Amado ganha 0,41% para 14,8 cêntimos enquanto a antiga PT SGPS valoriza 1,28% para 39,5 cêntimos.

Fora do PSI-20, a Novabase dispara 4,28% para 2,753 euros, depois de ter subido um máximo de 4,55% para 2,76 euros, o valor mais alto desde 10 de Janeiro.  A tecnológica anunciou ontem um aumento de 25% nos dividendos para 15 cêntimos por acção, após um aumento de 29% nos lucros de 2016.




A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

ELES ANDÃO AÍ!

ofon Há 4 dias

BCP a subir

BCP Há 4 dias

Gostei de ver 7.000.000 de acções a voar em 30 segundos!!!

Anónimo Há 4 dias

Que grande nivel para os seus acionistas estou a referir-me á JERÓNIMO MARTIS !Eu não tenho títulos da referida empresa mas que os seus administradores merecem todo o respeito e´um facto,a minha admiração!Onde estão esses da SONAE que tristeza tenham vergonha!

ver mais comentários
pub