Bolsa Energia volta a pesar na bolsa de Lisboa

Energia volta a pesar na bolsa de Lisboa

A bolsa nacional iniciou a sessão em queda, numa altura em que o grupo EDP e a Galp estão a ceder. O BCP, que ontem anunciou o adiamento da apresentação de resultados também cai.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 03 de novembro de 2016 às 08:04
O PSI-20 recua 0,18% para 4.539,94 pontos, com 10 cotadas em queda, seis em alta e duas inalteradas.

As bolsas europeias também estão no vermelho, pressionadas por vários factores: uma sondagem que dá a vitória de Donald Trump, ainda que por uma distância de apenas um ponto, nas eleições presidenciais dos EUA; a queda acentuada do petróleo; e os receios em torno da banca italiana, depois de Corrado Passera ter anunciado que abandonou o plano de recapitalização do Monte dei Paschi, alegando falta de cooperação da instituição.

 

Na bolsa nacional, o grupo EDP é o que mais pesa, com a EDP Renováveis a descer 0,24% para 6,55 euros, depois desta manhã ter revelado que fechou os primeiros nove meses com um lucro de 29 milhões de euros, um valor inferior ao que estava a ser estimado pelos analistas. Já na última sessão a empresa liderada por Manso Neto se destacou, ao afundar mais de 4%.

A EDP também cai 0,45% para 2,88 euros, no dia em que também revela os números dos primeiros nove meses do ano.

 

A Galp Energia deprecia 0,33% para 11,95 euros, numa altura em que os preços do petróleo aliviam das quedas da última sessão provocadas pelos receios de que os membros da OPEP não cheguem a acordo sobre a redução de produção e pelo aumento das reservas dos EUA. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, sobe 0,79% para 47,23 dólares.

 

Destaque também para o BCP, que cai 0,33% para 1,2001 euros, depois de ontem ao final do dia ter anunciado que decidiu adiar a apresentação de resultados para a fazer coincidir com o dia da reunião de accionistas, onde os investidores vão votar o aumento do limite de direitos de voto dos 20% para os 30%, um passo determinante para a entrada da Fosun no capital do banco liderado por Nuno Amado.

Esta quinta-feira, serão também conhecidos os resultados da Altri e da Cofina, empresa que detém títulos como o Negócios.


(Notícia actualizada às 8:15 com mais informação)

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 03.11.2016

Então o BCP não sobe?
O que está o Nuno Amado a fazer ?
Pague a uma agência de rating para dizer bem deste Banco, para ver se me safo. Estou entaladíssimo !!!

Anónimo 03.11.2016

Grande descarregamento... LOOL
Para alguém vender, alguém tem de comprar!!!

Sapateiro da Brandoa 03.11.2016

Grande descarregamento de ações na bolsa portuguesa
Investidores estrangeiros concerteza.
A que está a peder mais em toda a europa.
panico por causa do petróleo.
E porque a dívida suberana portuguesa foram diulgados resultados ontem que subi-o novamente
Onde o psi 18 irá parar?

pub