Bolsa Especuladores atacam CTT após corte de estimativas
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Especuladores atacam CTT após corte de estimativas

As apostas na queda das acções dos CTT duplicaram após os resultados. Há quatro gestoras com posições curtas na empresa.
Especuladores atacam CTT após corte de estimativas
Miguel Baltazar/Negócios
Patrícia Abreu 06 de novembro de 2017 às 07:00

As acções dos CTT continuam a pagar a factura do fraco conjunto de resultados apresentado pela empresa e pelo corte de dividendo. A companhia de correios fixou um novo mínimo e perdeu 30% do seu valor em três sessõ

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião16
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Os governos e os sindicatos que especulam com a sustentabilidade do Estado, a competitividade da economia e a equidade na sociedade através de contratos salariais injustificáveis e carreiras irrealistas são o quê? Pois. E o pior é que o fazem com o dinheiro e demais património dos outros!

comentários mais recentes
Miguel Cunha Há 1 semana

Não tarda nada os CTT estão a ser alvo de uma OPA. Provavelmente esta descida está a servir para este objectivo.
OPA a 5,10€. Será???? Vamos esperar para ver!!!!

Anónimo Há 1 semana

O negócio correio esta decair, e o passivo la continua, para gerar valor tem reestruturar e rejuvenescer, com director operações velho, que não reestrutura a sua área pois esta velho, nomeia carteiros para gestores e contrata para os substituir, isso é vergonha, acionistas tem demitir Lacerda e exig

Anónimo Há 1 semana

No mandato presidencial do Presidente Barack Obama, o U.S. Postal Service despediu muitos milhares de colaboradores excedentários e regressou aos há muito esquecidos lucros trimestrais. Economias de mercado ricas e desenvolvidas, capazes de criar valor consistentemente, não se deixam capturar por perniciosos interesses sindicais porque as reais oferta e procura de mercado não são opcionais. "USPS Records First Profit in Five Years as Obama Calls for Shedding 12K Postal Jobs" www.govexec.com/management/2016/02/usps-records-first-profit-five-years-obama-calls-shedding-12k-postal-jobs/125825/

Anónimo Há 1 semana

Em Inglaterra, economia muito rica e desenvolvida numa sociedade justa, livre e amplamente democrática, o Royal Mail tem automatizado os serviços, que são crescentemente automatizáveis, e despedido excedentários com a mesma naturalidade com que um ciclista com corpo são em mente sã em Cascais se desviaria do percurso que o levaria à estatelar-se fatalmente nas profundezas da Boca do Inferno. "The group - which last month saw its privatisation complete with the sale of the Government's final stake for just over £591 million - is also axing jobs and reducing costs across the business to help shore up its balance sheet, cutting its workforce by nearly 3,000 in the past six months alone." www.gazetteandherald.co.uk/news/towns/swindon/14093847.Parcel_machine_destined_for_Swindon_as_Royal_Mail_job_cuts_expected/

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub