Trading "Estamos a crescer demasiado"

"Estamos a crescer demasiado"

Fundo que investe em lítio diz que não quer mais clientes. Os seus activos disparam quase 400% em 2017.
"Estamos a crescer demasiado"
Mariana Adam Bloomberg 02 de janeiro de 2018 às 18:38

Embora todas as previsões apontem para uma continua valorização do lítio, não só em 2018 como nos anos seguintes, a empresa Structured Solutions Next Generation Resources Fund revela que está a ponderar fechar o seu fundo - que investe sobretudo em activos relacionados com o lítio - a novos clientes porque simplesmente está a crescer "demasiado".


O apetite dos investidores por produtos relacionados com esta commodity – utilizada nas baterias dos carros eléctricos, computadores e telemóveis - atingiu máximos históricos em Outubro do ano passado. Esta empresa, com sede no Luxemburgo, cresceu quase 400% em 2017, registando um desempenho 99% superior aos seus pares, no mesmo período. Este é já o terceiro ano consecutivo que encerra com ganhos, depois de ter registado perdas entre 2011 e 2014.

Mas perante tanta procura a empresa diz basta. Em declarações à Bloomberg, Tobias Tretter, gestor deste fundo explica a opção: o sector é "bastante pequeno" e o ritmo de crescimento do fundo eclipsa a quantidade de investimentos atractivos disponíveis no mercado. Acrescentando que está confiante de que o "sector dos metais continuará muito activo nos próximos anos".


O valor dos activos da empresa atingiu quase 100 milhões de dólares o ano passado, um valor que compara com cerca de 20 milhões de dólares no final de 2016, de acordo com dados da Bloomberg.

 

O lítio, que era até há pouco tempo uma matéria-prima pouco conhecida, foi um das estrelas de 2017, com os preços no mercado internacional a dispararem com a perspectiva de que a breve prazo haja um exponencial aumento de automóveis eléctricos, o que faz prever uma elevada procura daquele mineral a nível mundial. O Bank of America Merrill Lynch espera uma queda da oferta este ano, o que deverá manter os preços em alta. A procura "crescerá mais nos próximos anos à medida que a popularidade dos veículos eléctricos aumenta", sustenta um relatório do Bank of America.


Já os analistas dos SP Angel defendem que é provável que o consumo "em todos os sectores de energia renovável e mobilidade eléctrica" dispare até três vezes nos próximos 10 anos. No entanto, alertam para o facto de o número de novos projectos, em torno do lítio, que procuram financiamento ser tão grande que "facilmente deixaria o mercado com um excesso de oferta".

 

Nos mercados o clima em torno do lítio também é de optimismo: o Global X Lithium & Battery Tech ETF elevou os seus activos em 829%, registando a segunda maior taxa de crescimento entre mais de 800 concorrentes em todas as classes de activos, de acordo com dados da Bloomberg Intelligence.

 




pub