Obrigações Estão os árabes a patrocinar a queda do prémio de risco do país?
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Estão os árabes a patrocinar a queda do prémio de risco do país?

No dia em que o "spread" da dívida nacional atingiu mínimos de Agosto, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa sugeriu que poderá haver capital árabe na dívida nacional e os mercados estão a sentir solidez financeira do país.
Estão os árabes a patrocinar a queda do prémio de risco do país?
Patrícia Abreu 18 de maio de 2017 às 00:01

António Costa esteve, este mês, em Doha a pedir aos investidores árabes que comprassem dívida pública portuguesa. E estes investidores poderão já estar a responder positivamente ao apelo do primeiro-ministro )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 18.05.2017

O governo das esquerdas sindicais quer continuar a desbaratar em excedentarismo na banca de retalho, no Estado-monstro e noutras tolices, e por isso o mercado já não pega na dívida toda que ele quer, e sem reformas precisa, continuar a emitir ou o país pára. Sem fazer as reformas no Estado e na economia que o FMI, a UE e a OCDE proclamam há muito para Portugal, o governo eleitoralista, incompetente e traidor prefere vender Portugal a autocratas e ficar dependente deles agora e no futuro.

comentários mais recentes
pertinaz 18.05.2017

ESTÁ TUDO BEM... ATÉ AO PRÓXIMO DESASTRE....!!!

Anónimo 18.05.2017

O governo das esquerdas sindicais quer continuar a desbaratar em excedentarismo na banca de retalho, no Estado-monstro e noutras tolices, e por isso o mercado já não pega na dívida toda que ele quer, e sem reformas precisa, continuar a emitir ou o país pára. Sem fazer as reformas no Estado e na economia que o FMI, a UE e a OCDE proclamam há muito para Portugal, o governo eleitoralista, incompetente e traidor prefere vender Portugal a autocratas e ficar dependente deles agora e no futuro.

Anónimo 18.05.2017

Marcelo já foi certamente endoutrinado na cartilha anti-liberal do fundamentalismo islâmico. Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi mesmo um fanático ultra neoliberal: "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

Anónimo 18.05.2017

Venda-se a soberania em troca de uma sharia e umas mesquitas espalhadas pelo país. É o vale tudo com este governo.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub