Câmbios Euro atinge mínimos de um mês depois do pior dia de 2017

Euro atinge mínimos de um mês depois do pior dia de 2017

A moeda única está a ser penalizada pelos receios de que os resultados das eleições na Alemanha penalizem a economia e travem o processo de maior integração da Zona Euro.
Euro atinge mínimos de um mês depois do pior dia de 2017
Russell Boyce/Reuters
Rita Faria 26 de setembro de 2017 às 10:35

A moeda única europeia está a negociar em mínimos de um mês face ao dólar, penalizada pelos receios dos investidores de que o período de incerteza até à formação de um governo de coligação na Alemanha prejudique a economia e dificulte o processo de maior integração da Zona Euro.

 

O euro desvaloriza 0,28% para 1,1816 dólares – o valor mais baixo desde 25 de Agosto – depois de já ontem ter perdido 0,86%, a maior descida diária deste ano. É preciso recuar a 15 de Dezembro de 2016 para encontrar uma desvalorização tão pronunciada da moeda única.

 

Este desempenho acontece depois de as eleições legislativas na Alemanha terem dado uma vitória curta à CDU de Angela Merkel, e um surpreendente terceiro lugar ao partido xenófobo e anti-islão Alternativa para a Alemanha (AfD).

 

Perante os resultados – e a recusa do SPD de se coligar com a CDU – Merkel fica reduzida à possibilidade de um acordo com Verdes e Liberais (FDP), sendo que estes são contra uma maior integração na Zona Euro, rejeitando a criação de um orçamento comum.

 

Ora, este arranjo político poderá pôr assim em causa as ambições do presidente francês, Emmanuel Macron, que pretende reformar a Zona Euro, no sentido de a tornar mais unida e coesa, inclusive através da criação de um orçamento comum e de um ministro das Finanças do euro. O chefe de Estado vai discursar sobre o seu plano esta terça-feira na Universidade Sorbonne, em Paris.

 

A expectativa de uma maior integração da região da moeda única é precisamente o factor apontado pelo Commerzbank pela apreciação de mais de 10% do euro em relação ao dólar desde a primeira volta das presidenciais em França.

 

"O euro tem estado a subir desde as eleições francesas devido ao incentivo de Macron a favor da união orçamental", afirma Thu Lan Nguyen, estratega do Commerzbank, citada pela Reuters. "E agora há uma certa incerteza no mercado em relação a isso, depois das eleições na Alemanha".

 

A contribuir para a desvalorização do euro estão ainda os comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, que afirmou, na segunda-feira, que a volatilidade da moeda única é uma fonte de incerteza que requer monitorização e defendeu que um "amplo" grau de acomodação monetária ainda é necessário. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Já não Há Mentira que Pegue Há 3 semanas

Não existe Nenhum motivo, Nenhuma Razão para Votar num qualquer Partido que não seja o PS, Existe todas as Razões para Votar no Partido Socialista, Desde Logo para se tornar Independente do BE, já que o PSD não conta para Nada, se auto afastou de qualquer Solução Política.

BCP vai ultrapassar os 0.275 esta semana Há 3 semanas






VÊM ai GRANDES NOTICIAS e GRANDES LUCROS para o MILENUM BCP acordem e ABRAM os olhos se QUEREM GANHAR MUITO $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub