Obrigações Evan Wohlmann: "Precisamos ter confiança de que a dívida vai continuar a cair"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Evan Wohlmann: "Precisamos ter confiança de que a dívida vai continuar a cair"

A Moody's tem agendada para 20 de Abril uma possível acção de "rating" para Portugal, mas o analista sénior da agência de notação financeira adianta que ainda precisa analisar mais dados para confirmar a sustentabilidade das melhorias no país.
Evan  Wohlmann: "Precisamos ter confiança de que a dívida vai continuar a cair"
Bloomberg
Patrícia Abreu 09 de fevereiro de 2018 às 06:00

A agência de notação financeira Moody’s nota melhorias significativas na economia e na consolidação orçamental em Portugal. Ainda assim, Evan Wohlmann, analista sénior da instituiçã

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Que Deus te ouça, ó Moody´s … Há 2 semanas

Que Deus te ouça, ó Moody´s, e se concretize o que prevês.
Confesso que o cenário de o País ir à bancarrota,
para mim, como cidadão Português,
assumia dimensão de desonra,
que, perante estrangeiros, me envergonharia de evocar
condição de cidadão de País com Língua falada por um quinto da população mundial.
Sou corsário dos sete mares e ando pelas bolsas de todo o mundo forrageando rendibilidades.
Sou Long e sou Short, e não hesito em usar prudentemente dívida (alavancagem)
visando um ótimo em termos de relação de expectativas de rendibilidade/risco.
Penso que o mesmo princípio se poderá aplicar às finanças de um País,
que, mais do que prosseguir a ambição dos seus Governantes,
quer a felicidade do Povo que aqueles servem (devem servir)
E tal passa no mundo atual por uma preocupação com o crescimento económico.
Portanto:
Sou pela elevação do nível da dívida pública até grau ótimo,
Mas sempre, SEMPRE prudente para esconjurar risco de desonra.
Que Deus te ouça, ó Moody´s

JCG Há 2 semanas

E a confiança em que a dívida pública portuguesa vai continuar a cair só terá fundamento de for claro que os governos de Portugal sabem que isso só é possível com contas do Estado com saldos positivos (receitas superiores a despesas globais) e estão verdadeiramente empenhados em que isso aconteça

Claro que a dívida vai continuar a cair! Há 2 semanas

Em cima dos contribuintes Portugueses...
Uma verdade La Palice, e com a economia Portuguesa a divergir mais relativamente aos outros países europeus, ainda vai cair mais... Com o costa a dívida vai a crescer até ao infinito, se o deixarem?

General Ciresp Há 2 semanas

Mas esse Wohlmann e burro ou esta a fazer dos portugueses palermas.O ano passado a casalinho devia ter ficado perto dos 100.000.000.000. de emprestimos q angariou,a gerigonca pela mao do deficiti LEX devolveu a divida menos de 1 quinto desse montante mendigado,para onde foram os 90.000.000.000de sob

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub