Mercados Expectativa de que BCE compre dívida anima Wall Street

Expectativa de que BCE compre dívida anima Wall Street

O índice industrial Dow Jones superou o patamar dos 13.000 pontos, para máximos de Maio.
Carla Pedro 27 de Julho de 2012 às 21:25
As bolsas norte-americanas encerraram em alta, sustentadas pela expectativa de que o Banco Central Europeu compre obrigações soberanas para ajudar a reduzir os juros da dívida e a preservar o euro. Hoje correram informações de que a autoridade monetária iria intervir no mercado para comprar dívida espanhola e italiana.

Ontem, o presidente do BCE, Mario Draghi, tinha já feito declarações de compromisso na defesa do euro, o que tinha estado já a animar o sentimento nos mercados.

Os dados do PIB dos EUA revelaram que a economia norte-americana cresceu a um ritmo mais lento no segundo trimestre, mas os investidores estiveram concentrados na Europa e não desanimaram.

O índice industrial Dow Jones terminou a somar 1,46%, fixando-se nos 13.075,66 pontos, enquanto o S&P 500 registou uma apreciação de 1,91% para 1.386 pontos.

Ambos os índices atingiram assim o valor mais alto desde Maio e marcaram três semanas consecutivas de ganhos, o que não acontecia desde Janeiro.

O tecnológico Nasdaq, por seu lado, avançou 2,24% para 2.958,09 pontos, apesar da forte queda do Facebook.

A Alcoa e a Caterpillar valorizaram mais de 3%, liderando os ganhos entre as maiores empresas.

A Merck e a Amgen também ganharam terreno, sustentadas pelos lucros das empresas do sector dos cuidados de saúde, que têm estado a superar as estimativas.

Em contrapartida, os títulos do Facebook caíram 11,7% para 23,70 dólares e chegaram a afundar mais de 17%, fixando um mínimo histórico de 22,28 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub