Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsa em alta no dia de Powell e petróleo cai antes da OPEP

Fecho dos mercados: Bolsa em alta no dia de Powell e petróleo cai antes da OPEP

As bolsas estão a valorizar esta terça-feira em várias geografias, num dia marcado pela nomeação de Jerome Powell para a presidência da Reserva Federal dos Estados Unidos. O petróleo está em queda antes da reunião da OPEP que deverá ficar marcada pela manutenção dos cortes de produção.
Fecho dos mercados: Bolsa em alta no dia de Powell e petróleo cai antes da OPEP

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,28% para 5.276,95 pontos

Stoxx 600 avançou 0,56% para 387,01 pontos

S&P500 aprecia 0,46% para 2.613,45 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal sobe 0,7 pontos base para 1,924%

Euro perde 0,14% para 1,1881 dólares

Petróleo desvaloriza 0,86% para 63,29 dólares por barril, em Londres

 

Bolsas europeias em alta

As principais bolsas europeias terminaram a segunda sessão da semana em alta. O britânico Footsie liderou os ganhos no Velho Continente, registando uma valorização de 1,04%. Isto num dia em que foi revelado que os sete maiores bancos do Reino Unido passaram nos testes de stress realizados pelo Banco de Inglaterra (BoE), cujos resultados mostram que as instituições estão em boa posição para enfrentar até um Brexit desordenado.

Segundo as informações divulgadas esta terça-feira, 28 de Novembro, pela autoridade monetária liderada por Mark Carney, o HSBC, o Lloyds Banking Group, o Nationwide Building Society, o Santander U.K. e o Standard Chartered passaram no exame à sua saúde financeira, enquanto o Barclays e o Royal Bank of Scotland só tiveram luz verde graças às medidas de reforço de capital que implementaram desde o final de 2016.

O índice grego seguiu de perto o comportamento da praça londrina, tendo subido 1,02%. A praça germânica subiu 0,46%, numa altura em que pode continuar a estar o alívio da incerteza política na Alemanha, depois de ontem Angela Merkel ter dito que a CDU está "pronta para começar as conversações com o SPD" de Martin Schulz com o objectivo de formar governo.

O português PSI-20 foi o índice que registou uma valorização mais modesta entre as principais congéneres, tendo subido 0,28%, à boleia da Semapa, EDP Renováveis e Jerónimo Martins.

Nos Estados Unidos, a tarde está a ser de ganhos. O Senado vai pronunciar-se hoje sobre a nomeação de Jerome Powell para a presidência da Reserva Federal dos Estados Unidos.

Powell na sua intervenção, esta tarde, já disse que o banco central norte-americano deve "responder decisivamente" a qualquer nova crise económica. "Temos de reter flexibilidade para ajustar as nossas políticas [de forma] a responder aos desenvolvimentos económicos", disse, citado pela Reuters. "Temos de estar preparados para responder decididamente, com uma força apropriada, às novas e inesperadas ameaças à estabilidade financeira e da prosperidade económica da nossa nação", acrescentou.

 

Juros estáveis

Numa sessão em que não foram revelados dados económicos relevantes, os juros da dívida pública portuguesa ficaram estáveis, com a "yield" das obrigações do Tesouro a 10 anos abaixo dos 2% pela 12.ª sessão. A taxa a 10 anos subiu 0,7 pontos base para 1,924%, com o spread face à dívida alemã a agravar-se ligeiramente para 1,586%.

Euro recua em dia de nomeação de Powell

No dia em que o Senado se vai pronunciar sobre a nomeação de Jerome Powell para a presidência da Reserva Federal dos Estados Unidos, a moeda única está a perder terreno para o dólar. O euro cede 0,14% para 1,1881 dólares e o índice de moeda norte-americana soma 0,2%, depois de Powell ter adoptado um discurso no Senado que os analistas dizem ser idêntico ao de Janet Yellen.

Taxas Euribor descem a 6 e 9 meses

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três e a 12 meses e desceram a seis e a nove meses em relação a segunda-feira. A Euribor a três meses ficou estável em -0,329%, pela 20.ª sessão consecutiva. Já a taxa a seis meses desceu para -0,274%, contra -0,276%, o actual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 30 de Outubro. A nove meses, a Euribor também desceu para -0,218%, menos 0,1 pontos base do que na segunda-feira e contra o actual mínimo de sempre, de -0,224%, registado pela primeira vez em 27 de Outubro.

 

Petróleo em queda antes da reunião da OPEP

O petróleo está a prolongar a sua descida de máximos de mais de dois anos, antes da reunião da OPEP e dos seus aliados, onde será debatida a extensão dos cortes na produção para além de Março de 2018. A reunião decorrerá na quinta-feira, sendo que a Bloomberg noticiou hoje que todos os membros do cartel querem prolongar os cortes na produção desta matéria-prima por nove meses – ou seja, até ao final de 2018 – enquanto a Rússia, que também faz parte do acordo, ainda não se comprometeu com a extensão.

 

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, cai 0,71% para 57,70 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, recua 0,86% para 63,29 dólares.

 

Bitcoin toca os 10 mil dólares 

A bitcoin tocou o mítico valor de 10 mil dólares por unidade. Apesar dos sucessivos avisos sobre uma eventual bolha a criptomoeda valorizou cerca de 800% só em 2017. De acordo com o CoinDesk, neste momento a moeda virtual está a valer 9.915,80 dólares, com um ganho de 1,82%.

O valor de mercado da bitcoin é actualmente de 167 mil milhões de dólares, mais do que algumas das maiores empresas do mundo como a Pepsi Co (165 mil milhões), a Boieng (158 mil milhões) e a McDonand's (135 mil milhões). 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub