Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsas europeias caem. Dólar fortalece-se

Fecho dos mercados: Bolsas europeias caem. Dólar fortalece-se

As bolsas europeias não conseguiram evitar uma queda. O dólar está a fortalecer-se, a beneficiar da reforma fiscal americana, enquanto a bitcoin continua a atingir máximos.
Fecho dos mercados: Bolsas europeias caem. Dólar fortalece-se
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 desceu 0,26% para 5.381,00 pontos

Stoxx 600 caiu 0,11% para 386.32 pontos

S&P 500 valoriza 0,04% para 2.630,53 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 0,5 pontos base para 1,88%

Euro recua 0,30% para 1,1790 dólares

Petróleo desce 2,02% para 61,59 dólares por barril

 

Bolsas europeias acompanham Ásia

As bolsas europeias terminaram a sessão em queda, a reflectir o sentimento negativo que vigorou na Ásia. A excepção foi o índice britânico Foostie, que subiu, a beneficiar da queda da libra. O Stoxx600 desceu 0,11%.

Já no mercado nacional, o PSI-20 caiu 0,26%, registando a primeira descida em três sessões, pressionada pelas quedas do BCP e da Galp Energia.

 

Juros voltam a tocar mínimos
As taxas de juro da dívida nacional voltaram a tocar mínimos. No prazo a 10 anos, a taxa desceu para 1,88%, tendo tocado nos 1,843% durante a sessão, o que é o nível de juros é o mais baixo desde 2015. Já a taxa a cinco ano tocou no nível mais baixo de sempre.

 

Taxas Euribor mantêm-se a três, seis e 12 meses e sobem a nove meses

As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e 12 meses e subiram a nove meses em relação a terça-feira. No prazo mais curto, a taxa fixou-se nos -0,326%, no prazo a seis meses estabilizou nos -0,271% e a 12 meses ficou nos -0,191%. Já a nove meses a taxa subiu para -0,219%.

 

Dólar sobe à boleia da reforma fiscal

A moeda americana está a subir contra as principais divisas mundiais, a beneficiar da expectativa em torno da reforma fiscal dos EUA. O Bank of America prevê que as medidas que a administração Trump quer implementar poderão levar a um repatriamento elevado de dinheiro para os EUA, uma perspectiva que está a animar a negociação da nota verde. 

 

Aumento das reservas de gasolina pressiona preços do petróleo

As cotações do "ouro negro" seguem a perder terreno nos principais mercados internacionais, em mínimos de duas semanas, pressionadas pelo aumento dos inventários norte-americanos de gasolina na semana passada. Com efeito, o incremento de gasolina nos tanques de armazenamento dos EUA sugere que as refinarias poderão não precisar de processar tanto crude quanto o que está a disponível para entrega. No mercado nova-iorquino, o crude de referência WTI para entrega em Janeiro segue a ceder 2,24% para 56,33 dólares por barril, e em Londres o contrato de Fevereiro do Brent do Mar do Norte, que serve de referência às importações de Portugal, está a negociar nos 61,59 dólares, a cair 2,02%.

 

Bitcoin em novo máximo
A bitcoin voltou a tocar num novo máximo, ao superar os 12 mil dólares por unidade. A contribuir para o entusiasmo recente das acções está o anúncio de que os futuros sobre a bitcoin vão passar a transaccionar em bolsa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub