Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsas europeias indefinidas à espera de Trump

Fecho dos mercados: Bolsas europeias indefinidas à espera de Trump

As bolsas europeias encerraram com variações pouco acentuadas e com alguns índices a subir e outros a caírem, antes do primeiro discurso de Donald Trump enquanto presidente dos EUA.
Fecho dos mercados: Bolsas europeias indefinidas à espera de Trump
Sara Antunes 20 de janeiro de 2017 às 17:23

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,46% para 4.601,65 pontos

Stoxx 600 caiu 0,07% para 362,58 pontos

S&P 500 valoriza 0,45% para 2.273,89 pontos

"Yield 10 anos de Portugal recua 0,9 pontos base para 3,872%

Euro avança 0,20% para 1,0686 dólares

Petróleo sobe 2,33% para 55,42 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias mistas à espera de Trump

As bolsas europeias encerraram antes de Donald Trump proferir o seu discurso, onde se espera que o novo presidente dos EUA dê mais informação sobre a política económica que vai prosseguir. A semana acabou por ser negativa, com o Stoxx600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, a perder 0,92% no acumulado da semana.

 

Na bolsa nacional a tendência foi de ganhos, com o PSI-20 a subir 0,46% esta sexta-feira, sustentado sobretudo pelo BCP, que disparou mais de 10%, impulsionados pelos direitos, que dispararam 28%, neste que foi o segundo dia de negociação.

Juros alíviam
As taxas de juro de Portugal registaram um alívio, recuando 0,9 pontos base para 3,872%. No acumulado da semana, a taxa a 10 anos recuou mais de 4 pontos base, sendo esta a segunda semana de quedas para a "yield" portuguesa. Já a taxa a 10 anos da dívida alemã subiu 4,2 pontos base para 0,421%, o que reduz o prémio de risco de Portugal para 345 pontos. 

 

Euribor sobem a 3 meses e descem a 6 e 9 meses para novos mínimos

As taxas Euribor subiram esta sexta-feira no prazo a três meses para -0,328%, e recuaram nos prazos a seis e nove meses. Nestes dois casos as taxas atingiram mesmo novos mínimos históricos, de -0,241% e de -0,155%, respectivamente. A taxa a 12 meses manteve-se hoje em 0,100%.

 

Euro em alta antes do discurso de Trump

A moeda única sobe, com os investidores à espera do discurso de Donald Trump. O mercado aguardava que o presidente americano deixasse algumas pistas sobre a política económica que será prosseguida.

 

Petróleo sobe mais de 2% após dados de cortes de produção

Os preços do petróleo estão a subir mais de 2%, depois da Arábia Saudita ter revelado que os membros da Organização dos Países Exportações de Petróleo (OPEP) e outros parceiros já reduziram a produção em 1,5 milhões de barris por dia este mês, pondo em prática o acordo alcançado em Novembro. Os dados foram divulgados pelo ministro da Energia da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih, antes do encontro que vai decorrer esta sexta-feira, em Viena, para avaliarem a implementação do acordo. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, sobe 2,33% para 55,42 dólares.

 

Ouro com a maior série de ganhos semanais desde Julho

O ouro está a registar uma subida de 0,5% no acumulado do ano, sendo a quarta semana consecutiva de ganhos. O material está a registar o maior ciclo de subidas desde o período que culminou na primeira semana de Julho. E tem reflectido a incerteza sobre as políticas económicas que serão implementadas pela administração Trump.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub