Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsas europeias sobem. Juros em mínimos

Fecho dos mercados: Bolsas europeias sobem. Juros em mínimos

As bolsas europeias fecharam em alta, com Madrid em destaque. Os juros de Portugal acentuaram as quedas e atingiram mínimos de 2015, enquanto o euro recuperou parte das quedas registadas no final da semana passada.
Fecho dos mercados: Bolsas europeias sobem. Juros em mínimos

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,70% para 5.446,51 pontos

Stoxx 600 avançou 0,12% para 393,91 pontos

S&P 500 cai 0,35% para 2.572,16 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 9,9 pontos base para 2,095%

Euro avança 0,23% para 1,1635 dólares

Petróleo sobe 0,12% para 60,51 dólares por barril

  

Bolsas europeias sobem. IBEX ganha mais de 2%

As bolsas europeias subiram, com o IBEX em destaque, ao avançar mais de 2%, a recuperar das perdas recentes provocadas pela situação na Catalunha. Esta segunda-feira, a tendência foi de ganhos, com o sector financeiro em destaque. Já o Stoxx600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, avançou 0,12%, a negociar em máximos de Junho.

 

O incide português, o PSI-20, também subiu, pelo terceiro dia consecutivo, valorizando 0,7%, numa sessão em queda marcada pelo ganho de 3% do BCP, num dia em que a filial polaca (Bank Millennium) do banco liderado por Nuno Amado reportou lucros de 502 milhões de zlotys (117,8 milhões de euros) nos primeiros nove meses do ano.

 

Juros acentuam queda e atingem mínimo de Abril de 2015

As taxas de juro de Portugal estão a descer 9,9 pontos base, no prazo a 10 anos, atingindo mínimos de Abril de 2015. O prémio de risco também está em mínimos quer em relação à Alemanha, quer a Espanha. A contribuir para a descida está o facto de o Banco Central Europeu (BCE) ter anunciado um prolongamento do programa de compra de dívida, ainda que a um ritmo bastante inferior (dos 60 mil milhões de euros mensais passará, em Janeiro, para 30 mil milhões).

 

Taxas Euribor caem para mínimos a seis e 12 meses

As taxas Euribor desceram a seis e a 12 meses para -0,276% e -0,185%, respectivamente, renovando em ambos os casos mínimos históricos. Já a taxa de mais curto prazo, a três meses, estabilizou nos -0,331%. A taxa a nove meses contrariou a tendência e subiu para -0,223%, depois de ter fixado um novo mínimo histórico na última sexta-feira.

 

Euro recupera de mínimos de Julho

A moeda única europeia está a recuperar das quedas acentuadas registadas no final da semana passada, depois de o BCE ter prolongado o programa de compra de dívida por mais tempo, que atiraram o euro para mínimos de Julho. Esta segunda-feira, a moeda única europeia está a recuperar, enquanto nos EUA aguardam pelo anúncio de Donald Trump sobre o próximo presidente da Fed, o que deverá acontecer na próxima quinta-feira.

 

Petróleo negoceia acima dos 60 dólares pela primeira vez em mais de dois anos

Os preços do Brent estão a subir pela quinta sessão consecutiva e já atingiram o valor mais elevado em mais de dois anos, impulsionados pela crescente expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e a Rússia vão prolongar os cortes na produção, e pelas disrupções no fornecimento do Iraque. Nesta altura, o Brent, negociado em Londres, valoriza 0,12% para 60,51 dólares, depois de já ter tocado nos 60,89 dólares, um valor que não era atingido desde Julho de 2015.

Ouro sobe a beneficiar da queda do dólar
O ouro está novamente a valorizar, a beneficiar da queda da moeda americana, com os investidores a exporem-se mais a um activo que transacciona em dólares e que é considerado refúgio em alturas de maior incerteza.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar