Mercados num minuto Fecho dos mercados: Bolsas sobem, juros e euro descem

Fecho dos mercados: Bolsas sobem, juros e euro descem

As bolsas europeias fecharam a sessão com ganhos moderados, num dia em que o euro perdeu força frente ao dólar e em que os juros registaram descidas ligeiras.
Fecho dos mercados: Bolsas sobem, juros e euro descem
Sara Antunes 08 de agosto de 2017 às 17:20

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,02% para 5.276,86 pontos

Stoxx 600 avançou 0,16% para 382,64 pontos

S&P 500 valoriza 0,30% para 2.488,23 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recuou 0,1 pontos base para 2,862%

Euro perde 0,55% para 1,731 dólares

Petróleo sobe 0,15% para 52,45 dólares por barril, em Londres

 

Bolsas sobem à boleia das utilities

As bolsas europeias conseguiram terminar o dia em alta, a beneficiar do sector das "utilities", numa altura em que já poucas cotadas apresentaram resultados e em que muitos investidores estão ausentes do mercado, como é habitual em Agosto. O sector automóvel também contribuiu para o desempenho. O Stoxx600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, terminou o dia a subir 0,16%.

 

O PSI-20 acompanhou a tendência, ainda que com uma subida muito ligeira de 0,02%. A contribuir para a terceira subida consecutiva estiveram os ganhos da Galp e da Jerónimo Martins.

 

Prémio de risco de Portugal diminui

As taxas de juro implícitas na dívida portuguesa voltaram a cair, com a taxa a 10 anos a descer 0,1 pontos base para 2,862%, tendo tocado ao longo da sessão no valor mais baixo em quase um ano. Em sentido contrário seguem as bunds, com a taxa de juro da dívida alemã a 10 anos a subir 1,5 pontos para 0,474%, o que reduz o prémio de risco da dívida portuguesa para 238,8 pontos.

 

Euribor sobe a seis meses, cai a nove meses e estabiliza a três e 12 meses

As taxas Euribor mantiveram-se esta terça-feira a três e 12 meses, nos -0,328% e nos -0,152%, respectivamente. Já a taxa a seis meses subiu para -0,269%, enquanto no prazo a nove meses desceu para -0,210%, o que corresponde a um novo mínimo histórico.

 

Euro alivia ganhos

A moeda única europeia voltou a negociar abaixo dos 1,18 dólares, aliviando dos ganhos acumulados nos últimos tempos. Os últimos dados económicos publicados nos EUA aumentaram a expectativa em torno do fortalecimento da economia americana, o que é benéfico para o dólar. O euro desce 0,55% para 1,1731 dólares.

 

Petróleo sobe após membros da OPEP reiterarem compromisso

Os preços do ouro negro voltaram às subidas, depois de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) terem emitido um comunicado onde revelam que os seus membros reiteraram o seu compromisso em relação às quotas de produção. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a subir 0,15% para 52,45 dólares.

 

Ouro cai com valorização do dólar

O preço do ouro está a cair, a reflectir a valorização do dólar. Em vez de investirem em activos denominados na moeda americana, os investidores preferem investir directamente no mercado cambial. Além disso, os últimos dados económicos divulgados apontam para um fortalecimento económico pelo que o ouro que costuma ser usado como activo de refugido perde atractividade.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub