Mercados num minuto Fecho dos mercados: Juros renovam mínimos. Petróleo sobe para máximos de 2015

Fecho dos mercados: Juros renovam mínimos. Petróleo sobe para máximos de 2015

As bolsas europeias fecharam com quedas ligeiras, numa sessão marcada pela subida acentuada do petróleo em Londres, que atingiu máximos de 2015, e pela queda ligeira dos juros portugueses, que os levou a renovar mínimos também de 2015.
Fecho dos mercados: Juros renovam mínimos. Petróleo sobe para máximos de 2015
Bloomberg

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,05% para 389,05 pontos

Stoxx 600 desceu 0,05% para 389,05 pontos

S&P 500 valoriza 0,13% para 2.654,94 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 1,2 pontos base para 1,794%

Euro sobe 0,21% para 1,1798 dólares

Petróleo sobe 1,80% para 64,54 dólares por barril em Londres

  

Lisboa contraria perdas na Europa

A maioria das praças europeias encerrou em queda esta segunda-feira, 11 de Dezembro, penalizadas pelos sectores das viagens, tecnologia e ‘utilities’. As únicas excepções foram a bolsa de Amesterdão, o londrino Footsie e o português PSI-20. Depois de ter completado na sexta-feira a melhor semana desde Setembro, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desceu 0,05% para 389,05 pontos.
 

Em Lisboa, o PSI-20 ganhou 0,05% para 389,05 pontos, impulsionado sobretudo pela EDP e pela Galp Energia. A petrolífera avançou 0,74% para 15,675 euros, impulsionada pelos ganhos da matéria-prima e pela nota do JPMorgan, que colocou as acções da empresa como "top stock picks" para o sector energético na Europa no próximo ano, numa lista que é integrada ainda pela Shell e pela BP. Já a EDP subiu 1,34% para 2,947 euros.

 

Juros renovam mínimos de 2015

As taxas de juro portuguesas descem na maior parte dos prazos, renovando mínimos de Abril de 2015. A "yield" a 10 anos desce 1,2 pontos base para 1,794%, tendo chegado a tocar nos 1,767%. A descida dos juros portugueses surge numa altura em que se prevê que a agência de notação financeira Fitch eleve o "rating" do país, retirando-o do patamar considerado de "lixo". A marcar o dia esteve também a notícia de que o Estado português vai devolver mais 1.000 milhões ao FMI ainda este ano.

Taxas Euribor descem a três meses e mantêm-se nos restantes prazos

As taxas Euribor desceram no prazo mais curto e estabilizaram nos restantes prazos. A taxa a três meses desceu para -0,327%. Já a taxa a seis meses fixou-se nos -0,271%, no prazo a nove meses ficou nos -0,219% e a 12 meses a taxa manteve-se nos -0,191%. 

 

Euro sobe pela primeira vez em sete dias

O euro interrompeu a maior série de quedas desde 2016, ao subir esta segunda-feira, pela primeira vez em sete dias. A moeda única europeia avança 0,21% para 1,1798 euros. A semana será marcada por reuniões de bancos centrais dos dois lado do Atlântico. A Reserva Federal (Fed) vai reunir-se e deverá anunciar um aumento de juros. Já no lado da Europa, o Banco Central Europeu (BCE) não deverá anunciar qualquer alteração na política monetária, ainda que deva rever as previsões para a economia da Zona Euro. 
 

Petróleo sobe para máximos de 2015

Os preços do petróleo estão a subir quase 2% em Londres, a reflectir o fecho de uma conduta de petróleo muito importante para o mercado devido a um problema técnico. O barril do Brent, negociado em Londres e de referência para Portugal, está a subir 1,78% para 64,53 dólares. 

 

Bitcoin modera ganhos

Os futuros da bitcoin chegaram a disparar 25% na estreia em bolsa. Mas no mercado regular não registaram ganhos tão acentuados. A bitcoin sobe 4,84% para 16,4 mil dólares a unidade, depois de na sexta-feira ter superado pela primeira vez os 17 mil dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub