Mercados num minuto Fecho dos mercados: Petróleo desliza mais de 1% em dia de oscilações pouco acentuadas nas bolsas

Fecho dos mercados: Petróleo desliza mais de 1% em dia de oscilações pouco acentuadas nas bolsas

As bolsas europeias terminaram o dia com oscilações pouco acentuadas. Os juros recuaram ligeiramente, aproximando-se de um mínimo de um ano, enquanto o petróleo desliza mais de 1% com receios de excesso de oferta.
Fecho dos mercados: Petróleo desliza mais de 1% em dia de oscilações pouco acentuadas nas bolsas
Sara Antunes 07 de agosto de 2017 às 17:19

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,43% para 5.275,75 pontos

Stoxx 600 desceu 0,14% para 382,01 pontos

S&P 500 valoriza 0,06% para 2.478,36 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal recua 0,4 pontos base para 2,863%

Euro sobe 0,12% para 1,1787 dólares

Petróleo cai 1,45% para 51,66 dólares por barril em Londres

 

Bolsas europeias pouco definidas

As bolsas europeias fecharam com variações pouco definidas, com alguns índices a subirem e outros a caírem, num dia em que a forte subida das cotadas do sector da mineração está a compensar as desvalorizações ligeiras na generalidade dos restantes sectores. O Stoxx600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, desceu 0,14% para 382,01 pontos, com as oscilações dos índices a variarem entre uma subida de 0,44% do holandês AEX e uma queda de 0,33% do alemão DAX.

 

Na bolsa nacional, o PSI-20 subiu 0,43%, a beneficiar dos ganhos registados pela maioria das cotadas que compõem o principal índice nacional. BCP, grupo EDP, Galp, Jerónimo Martins, CTT e Nos estiveram entre as cotadas que contribuíram para a subida do índice.

 

Juros descem e estão próximos de mínimos de um ano

As taxas de juro implícitas na dívida portuguesa estão a descer, com a "yield" a 10 anos a recuar 0,4 pontos base para 2,863%, aproximando-se dos 2,825% atingidos a 14 de Junho, o que correspondeu ao valor mais baixo desde Agosto de 2016. Já os juros alemães com a mesma maturidade estão a descer 0,9 pontos para 0,459%, o que coloca o prémio de risco da dívida nacional nos 240 pontos. 

 

Taxas Euribor sobem nos prazos mais curtos

As taxas Euribor subiram esta segunda-feira a três e a seis meses, para -0,328% e para -0,270%, respectivamente. Já as taxas a nove meses ficaram inalteradas nos -0,209%, o actual mínimo de sempre. Enquanto a taxa a 12 meses recuou para -0,152%.

 

Euro sobe e recupera da queda da última sessão

Os dados do mercado de emprego dos EUA catapultaram o dólar na última sessão. Mas esta segunda-feira, a moeda única europeia regressou aos ganhos. Depois de perder quase 1% na sexta-feira, o euro sobe 0,12% para 1,1787 dólares esta sessão, seguindo com uma valorização de 12% desde o início do ano.  

 

Especulação em torno da oferta penaliza petróleo

Os preços do petróleo estão a descer no mercado internacional, a reflectir a especulação em torno da abundância de oferta no mercado. Esta especulação aumentou depois de ter sido reportada uma recuperação da produção de petróleo da Líbia, especificamente devido à regularização das operações no seu maior campo petrolífero, que regressou à normalidade. Estas indicações acabam por ofuscar os esforços dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para impulsionar os preços da matéria-prima, através do corte de produção.

 

O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 1,45% para 51,66 dólares.

 

Ouro pouco alterado

Os dados do mercado de emprego dos EUA retirou alguma atractividade ao ouro, que costuma ser utilizado como activo de refúgio. Este activo desce 0,02% para 1.258,68 dólares por onça.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub