Mercados num minuto Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce

Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce

As bolsas europeias encerraram o dia em alta, numa sessão marcada pela recuperação do euro, que esteve três dias em queda, e pelo alívio do petróleo, que desceu pelo terceiro dia. No mercado de dívida, o prémio de risco de Portugal diminuiu para o valor mais baixo desde Janeiro de 2016.
Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce
Sara Antunes 28 de setembro de 2017 às 17:28

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,79% para 5.375,61 pontos

Stoxx 600 avançou 0,19% para 386,36 pontos

S&P 500 valoriza 0,06% para 2.508,49 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 5 pontos base para 2,412%

Euro recua 0,33% para 1,1784 dólares

Petróleo cede 0,41% para 57,66 dólares por barril

 

Bolsas europeias em alta

Na sexta sessão consecutiva no verde, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, sobe 0,19% para 386,36 pontos, numa sessão em que as subidas das cotadas da energia, construção e sector químico ajudaram a compensar as descidas das empresas do sector mineiro.

 

O PSI-20 também valorizou 0,79%, atingindo o valor mais elevado desde Dezembro de 2015, sustentado pelo BCP, que avançou mais de 1,5%, e pela Novabase, que disparou mais de 12%, depois de ontem a empresa ter anunciado que vai distribuir um dividendo extraordinário de 50 cêntimos.

 

Prémio de risco de Portugal cai para mínimos de Janeiro de 2016

As taxas de juro associadas a Portugal descem em todos os prazos, com a "yield" da dívida a 10 anos a recuar 5 pontos base para 2,412%. Já os juros da Alemanha sobem para 0,479%, o que reduz o prémio de risco da dívida nacional para 193,3 pontos base, o que corresponde ao valor mais baixo desde Janeiro de 2016.

 

Euribor a nove e 12 meses renovam mínimos históricos

As taxas Euribor estabilizaram nos prazos mais curtos, com a taxa a três meses a manter-se, pela quinta sessão consecutiva, nos -0,329%. Já a Euribor a seis meses estabilizou nos -0,273%. Nos prazos mais longos observou-se novas quedas para mínimos históricos. A taxa a nove meses recuou para -0,220% e a Euribor a 12 meses desceu para -0,172%.

Euro sobe pela primeira vez em quatro dias

A moeda única europeia ainda negociou em terreno negativo, elevando para quatro dias consecutivos o período de quedas, mas inverteu essa tendência e sobe 0,33% para 1,1784 dólares, a aliviar das descidas recentes.

 

Petróleo recua há três dias

Os preços do petróleo, que no início da semana se aproximaram dos 60 dólares por barril em Londres, estão a descer há três sessões consecutivas, a aliviar das subidas recentes. Desde o final de Junho que o petróleo não descia durante tantos dias seguidos. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 0,41% para 57,66 dólares, reduzindo para cerca de 1,5% a subida desde o início do ano.

 

Ouro próximo do pior mês do ano

O ouro subiu 0,13% para 1.284,42 dólares por onça, a aliviar das quedas recentes. Este metal precioso está a cair este mês quase 3%, o que se se confirmar no fecho do mês será a maior queda mensal desde o início do ano. A contribuir para a descida do ouro este mês esteve a expectativa em torno do plano fiscal de Trump, que tem impulsionado o dólar, o que torna os investimentos em ouro menos atractivos.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Já não Há Mentira que Pegue 28.09.2017

Não se vê Razão para votar em outro Partido nas eleições, que não PS, vê-se Todas as Razões para Votar no PS, 1º porque ninguém quer voltar a Trás, aos Saques do PSD e CDS, 2º Acabar com a dependência do BE, já que o PSD se Auto Excluio das Soluções para Portugal, agarrados que estavam ao TACHO.

surpreso 28.09.2017

Cá estão os foguetes "xuxas".As taxas de Espanha também desceram,apesar da Catalunha

CRIADOR de TOUROS 10 - 1 = 9 MILHÕES 28.09.2017



Hoje vendi 1 milhão dos meus 10 MILHÕES de ações do MILENIUM BCP e ofereçi o $$$$$$$$$$$$$$$$ aos SHORTS do BCP para não MORREREM há FOME

pub