Mercados num minuto Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce

Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce

As bolsas europeias encerraram o dia em alta, numa sessão marcada pela recuperação do euro, que esteve três dias em queda, e pelo alívio do petróleo, que desceu pelo terceiro dia. No mercado de dívida, o prémio de risco de Portugal diminuiu para o valor mais baixo desde Janeiro de 2016.
Fecho dos mercados: Prémio de risco de Portugal em mínimos de 2016. Euro sobe e petróleo desce
Sara Antunes 28 de setembro de 2017 às 17:28

Os mercados em números

PSI-20 subiu 0,79% para 5.375,61 pontos

Stoxx 600 avançou 0,19% para 386,36 pontos

S&P 500 valoriza 0,06% para 2.508,49 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos recuam 5 pontos base para 2,412%

Euro recua 0,33% para 1,1784 dólares

Petróleo cede 0,41% para 57,66 dólares por barril

 

Bolsas europeias em alta

Na sexta sessão consecutiva no verde, o índice de referência para a Europa, o Stoxx600, sobe 0,19% para 386,36 pontos, numa sessão em que as subidas das cotadas da energia, construção e sector químico ajudaram a compensar as descidas das empresas do sector mineiro.

 

O PSI-20 também valorizou 0,79%, atingindo o valor mais elevado desde Dezembro de 2015, sustentado pelo BCP, que avançou mais de 1,5%, e pela Novabase, que disparou mais de 12%, depois de ontem a empresa ter anunciado que vai distribuir um dividendo extraordinário de 50 cêntimos.

 

Prémio de risco de Portugal cai para mínimos de Janeiro de 2016

As taxas de juro associadas a Portugal descem em todos os prazos, com a "yield" da dívida a 10 anos a recuar 5 pontos base para 2,412%. Já os juros da Alemanha sobem para 0,479%, o que reduz o prémio de risco da dívida nacional para 193,3 pontos base, o que corresponde ao valor mais baixo desde Janeiro de 2016.

 

Euribor a nove e 12 meses renovam mínimos históricos

As taxas Euribor estabilizaram nos prazos mais curtos, com a taxa a três meses a manter-se, pela quinta sessão consecutiva, nos -0,329%. Já a Euribor a seis meses estabilizou nos -0,273%. Nos prazos mais longos observou-se novas quedas para mínimos históricos. A taxa a nove meses recuou para -0,220% e a Euribor a 12 meses desceu para -0,172%.

Euro sobe pela primeira vez em quatro dias

A moeda única europeia ainda negociou em terreno negativo, elevando para quatro dias consecutivos o período de quedas, mas inverteu essa tendência e sobe 0,33% para 1,1784 dólares, a aliviar das descidas recentes.

 

Petróleo recua há três dias

Os preços do petróleo, que no início da semana se aproximaram dos 60 dólares por barril em Londres, estão a descer há três sessões consecutivas, a aliviar das subidas recentes. Desde o final de Junho que o petróleo não descia durante tantos dias seguidos. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, está a descer 0,41% para 57,66 dólares, reduzindo para cerca de 1,5% a subida desde o início do ano.

 

Ouro próximo do pior mês do ano

O ouro subiu 0,13% para 1.284,42 dólares por onça, a aliviar das quedas recentes. Este metal precioso está a cair este mês quase 3%, o que se se confirmar no fecho do mês será a maior queda mensal desde o início do ano. A contribuir para a descida do ouro este mês esteve a expectativa em torno do plano fiscal de Trump, que tem impulsionado o dólar, o que torna os investimentos em ouro menos atractivos.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Já não Há Mentira que Pegue Há 3 semanas

Não se vê Razão para votar em outro Partido nas eleições, que não PS, vê-se Todas as Razões para Votar no PS, 1º porque ninguém quer voltar a Trás, aos Saques do PSD e CDS, 2º Acabar com a dependência do BE, já que o PSD se Auto Excluio das Soluções para Portugal, agarrados que estavam ao TACHO.

surpreso Há 3 semanas

Cá estão os foguetes "xuxas".As taxas de Espanha também desceram,apesar da Catalunha

CRIADOR de TOUROS 10 - 1 = 9 MILHÕES Há 3 semanas



Hoje vendi 1 milhão dos meus 10 MILHÕES de ações do MILENIUM BCP e ofereçi o $$$$$$$$$$$$$$$$ aos SHORTS do BCP para não MORREREM há FOME

pub
pub
pub
pub