Bolsa Fed e dólar marcam dia sem direcção em Wall Street

Fed e dólar marcam dia sem direcção em Wall Street

Além das notícias de fusões e aquisições e dos resultados trimestrais, também a apreciação do dólar para máximos de oito meses em relação às suas pares e sinais sobre possível subida dos juros nos EUA influenciaram as negociações.
Fed e dólar marcam dia sem direcção em Wall Street
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 21 de Outubro de 2016 às 21:04

Os principais índices bolsistas de Nova Iorque terminaram a sessão desta sexta-feira, 21 de Outubro, entre ganhos e perdas ligeiros, com indicadores empresariais e o ritmo das futuras subidas de juros na maior economia do mundo a marcarem as negociações.

O S&P 500 terminou o dia nos 2.141,13 pontos, a cair 0,01%. Já do lado do industrial Dow Jones, a sessão foi de perdas de 0,09% para 18.146,12 pontos. O Nasdaq, índice tecnológico de referência, foi a excepção, a somar 0,3% para 5.257,40 pontos.

No radar dos investidores permanecem, além de notícias de fusões e aquisições e dos resultados trimestrais das cotadas, também os sinais sobre uma possível subida dos juros nos EUA já na reunião de Dezembro.

Esta sexta-feira o presidente da Reserva Federal de São Francisco, John Williams, insistiu no aumento gradual dos juros "mais cedo do que tarde," alertando que a demora nas subidas acabará por precipitar aumentos drásticos do preço do dinheiro, ameaçando levar a economia à recessão.

A condicionar as negociações esteve também a apreciação do dólar – que tocou máximos de oito meses contra um cabaz de divisas – influenciado por essa maior probabilidade de um aumento dos juros para breve. Apesar dos ganhos no West Texas Intermediate de Nova Iorque e no Brent de Londres, as empresas produtoras de petróleo fecharam a semana em queda.

A Microsoft atingiu máximos históricos no dia (nos 60,45 dólares) e fechou a sessão a apreciar mais de 4%, depois de ontem ter apresentado lucros e vendas melhor que o estimado pelos analistas na sequência do crescimento da sua área de negócio de armazenamento de dados em nuvem.

Os resultados positivos valeram também à cadeia de alimentação McDonald’s subidas na ordem de 3% nas suas acções.

A AT&T, que segundo o The Wall Street Journal está em contactos avançados para comprar a Time Warner, encerrou o dia a recuar 3%. Já o alvo da compra terminou a sexta-feira com ganhos de 7,82% para 89,48 dólares. A proposta formal pode ser conhecida esta semana, refere a publicação.

Os ADR da British American Tobacco, que quer comprar a Reynolds American por 43,2 mil milhões de euros, negoceiam em Nova Iorque a cair mais de 4% depois de terem recuado 0,31% em Londres enquanto os títulos da potencial comprada ganhava mais de 14%.

Apesar do desempenho diário pouco alterado, as praças norte-americanas fecharam um balanço semanal positivo, pela primeira vez em três semanas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub