Obrigações Fitch melhora "rating" do Montepio e do Totta

Fitch melhora "rating" do Montepio e do Totta

Depois de subir o "rating" de Portugal em dois níveis, a Fitch apenas melhorou a notação de dois dos cinco bancos portugueses.
Fitch melhora "rating" do Montepio e do Totta
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 21 de dezembro de 2017 às 17:59

A Fitch Ratings elevou o "rating" do Santander Totta e da Caixa Económica Montepio Geral em um nível, tendo sido estes os dois únicos bancos portugueses a merecer uma revisão em alta depois do "upgrade" de dois níveis efectuado à República Portuguesa a 15 de Dezembro.

A Fitch melhorou o "rating" da Caixa Económica Montepio Geral, para B+, o que corresponde ao quarto nível de lixo e apenas um grau abaixo do BCP e da CGD (ambos com BB-).

 

O "rating" do Santander Totta subiu um nível para BBB+ (três níveis acima de "lixo").

 

A subida no "rating" da Caixa Económica Montepio Geral reflecte as medidas tomadas pelo banco para "restaurar os seus rácios de capital e acelerar a implementação do seu plano estratégico", refere uma nota da Fitch. Ainda assim, a agência assinala que a notação atribuída reflecte "os baixos ‘buffers’ de capital", a "qualidade reduzida das métricas da qualidade dos activos", bem como a "fraca rentabilidade operacional".

 

Num comunicado, o Montepio assinala que "a decisão sobre o rating foi tomada no âmbito da revisão anual e vem comprovar o reconhecimento por esta agência dos progressos resultantes da execução do Plano Estratégico 2016-2018 da CEMG, tendo as acções tomadas permitido à instituição melhorar os seus indicadores de gestão fundamentais".

 

A subida do "rating" do Santander em nível deve-se ao "upgrade" efectuado à notação financeira da República Portuguesa. Assim, o banco controlado pelo espanhol Santander continua ter uma classificação acima da de Portugal.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub