Obrigações Fitch reitera investimento de qualidade da Brisa. E melhora a perspectiva

Fitch reitera investimento de qualidade da Brisa. E melhora a perspectiva

A agência e notação financeira reafirmou a sua classificação de BBB à Brisa, ao mesmo tempo que melhorou a perspectiva para "positiva".
Fitch reitera investimento de qualidade da Brisa. E melhora a perspectiva
Bruno simão
Carla Pedro 07 de dezembro de 2017 às 20:43

A Fitch reiterou o rating de longo prazo da Brisa Concessão Rodoviária (BCR), actualmente em BBB – que corresponde ao penúltimo nível da categoria de investimento de qualidade, informou a empresa em comunicado à CMVM.

 

Neste nível, considera-se que a capacidade de reembolso da dívida é adequada.

 

Além disso, a agência reviu em alta o outlook [perspectiva] para a evolução do rating da BCR, de "estável" para "positivo", acrescenta o mesmo documento.

 

A decisão, de acordo com a Fitch, reflecte o forte desempenho operacional e financeiro da BCR - que gere as 11 auto-estradas que integram a concessão principal do grupo.

 

Segundo o relatório da agência, a que o Negócios teve acesso, a BCR tem uma notação financeira dois níveis acima do rating da República Portuguesa (que está a um nível de sair do "lixo" – categoria especulativa] "devido ao facto de não estar exposta ao sistema bancário português nem à dívida soberana na qualidade de contraparte", além do facto de "possuir um histórico comprovado de acesso aos mercados de capitais internacionais".

A última vez que a Fitch se tinha pronunciado sobre a Brisa tinha sido a 13 de Dezembro de 2016, dia em que uma vez mais confirmou o rating de BBB. Nessa altura, a perspectiva manteve-se "estável", só melhorando agora.

No próximo dia 15, a Fitch poderá pronunciar-se sobre o rating e o outlook da dívida soberana de Portugal. É isso que está estipulado no calendário de eventuais revisões das notações soberanas – que as agências apresentam no final de cada ano, relativamente ao ano seguinte, às autoridades competentes. No entanto, os relatórios sobre os ratings e perspectivas para as dívidas soberanas podem não ser publicados, uma vez que este agendamento é apenas indicativo. 

(notícia actualizada às 20:47)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar