Trading França é o primeiro país a proibir exploração e produção de petróleo

França é o primeiro país a proibir exploração e produção de petróleo

A lei entra em vigor em 2040 e é mais um impulso para o sector das renováveis.
França é o primeiro país a proibir exploração e produção de petróleo
Mariana Adam 21 de dezembro de 2017 às 12:04

O parlamento francês aprovou esta terça-feira, 19 de Dezembro, uma lei que põe fim a qualquer exploração e produção de petróleo e gás no país a partir de 2040. A aprovação desta medida surge uma semana depois do Banco Mundial - que concede empréstimos às economias mundiais - ter anunciado que vai deixar de financiar projectos na área de exploração de petróleo e de gás.

Também o Fundo Soberano da Noruega anunciou recentemente a intenção de retirar os 35 mil milhões de dólares que tem actualmente investidos em acções de petrolíferas e empresas de gás como a Royal Dutch Shell e a Exxon Mobil. Este é o maior fundo soberano do mundo, com mais de um bilião de dólares em activos, dinheiro proveniente do petróleo.

Mudanças que vão ter impacto nas estratégias de investimento. O lítio, que era até há pouco tempo uma commoditie pouco conhecida, foi a estrela de 2017, com os preços no mercado internacional a dispararem com a perspectiva de que a breve prazo haja um exponencial aumento de automóveis eléctricos, o que faz prever uma elevada procura daquele mineral a nível mundial. Neste cenário o único fundo que negoceia lítio: o ETF (LIT) cresceu mais de 70% este ano, e é um dos ETF com o mais rápido crescimento em 2017.

 

A lei aprovada agora em França é sobretudo simbólica já que aquele pais produz apenas seis milhões de barris de hidrocarbonetos por ano, cerca de 1% do seu consumo e vai continuar a importar e refinar petróleo. Mas 2040 é agora a meta para ‘acabar’ com o petróleo. É a partir desse o ano que pelo menos Reino Unido, França e Alemanha, vão proibir a venda de automóveis que usem gasolina e gasóleo. O objectivo é fazer desaparecer os veículos movidos com estes combustíveis das estradas nos dez anos seguintes. Entretanto, várias marcas já anunciaram que a partir de 2019 vão produzir apenas veículos eléctricos ou híbridos.

 

A Europa anunciou entretanto que vai investir 26,4 milhões num projecto europeu que visa criar tecnologias para integrar fontes de energia renováveis na Europa até 2021. O objectivo da Comissão Europeia é que, até 2030, pelo menos 50% da energia existente no Continente seja proveniente de fontes renováveis, maioritariamente eólica, solar e hídrica.




pub