Fundos de investimento Fundos PPR nunca captaram tanto dinheiro
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Fundos PPR nunca captaram tanto dinheiro

As subscrições em fundos de poupança para a reforma têm vindo a aumentar e os PPR já são a categoria que capta mais investimento em Portugal. Entre Janeiro e Novembro, captaram mais de 633 milhões de euros.
Fundos PPR nunca captaram tanto dinheiro
Reuters
Patrícia Abreu 28 de dezembro de 2017 às 07:00

Nunca os portugueses colocaram tanto dinheiro em fundos para a reforma. Os PPR captam este ano mais de 600 milhões de euros, tendo ultrapassado o volume de subscrições registadas pelos fundos de tesouraria.

Apenas até

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Belle Époque nos Fundos de Investimento 28.12.2017

A ascensão imparàvel dos Fundos de Investimento (FI) como alternativa, ocorreu nos anos 50 do século passado, nos EUA.
Devido não tanto a fatores positivos (maiores expectativas de rendibilidade, neutralização do risco específico, liquidez), mas ao fator negativo dos juros baixos dos Depósitos.
Foi um primeiro período de Belle Époque que acabou por levar à consolidação do papel dos FI nos patrimónios, chegando-se hoje a valores superiores a 40% nos EUA e mesmo a 70% na Suécia.
Em Portugal está-se MUITO abaixo do valor que seria o óptimo para as famílias Portuguesas, não obstante o período de Belle Époque que também hoje se vive.
Mas será temporário.
E seria de bom aviso os Bancos aproveitarem o momento para, através de acção pedagógica (e até como apoio às redes comerciais para cumprir oportunísticos objectivos de venda), tentarem elevar o peso dos FI no património financeiro dos Portugueses, para níveis correspondentes ao indicado para cada cliente pela teoria das carteiras óptimas

comentários mais recentes
RE: Belle Époque nos Fundos de Investimento 28.12.2017

Os Portugueses serão tudo... menos parvos!
Se os FI não têm em Portugal a importância que deveriam ter, é verdade que também será porque os Bancos não os tens promovido com a eficácia com que têm promovido a venda de Seguros,
Mas mais verdade é que não tem havido em Portugal,
( e principalmente por quem mais responsabilidades teria no desenvolvimento de uma indústria de Fundos Portuguesa de qualidade internacional)
a preocupação de desenvolver a qualidade dos FI de modo a elevá-los, na generalidade, ao nível de qualidade dos melhores fundos internacionais.
Infelizmente tem havido, isso sim, talvez uma consentida preocupação em explorar o carácter oligopolístico da indústria de fundos em Portugal, para criar e manter cargos de direcção, muitas vezes de puro parasitismo.
Sejamos optimistas e esperemos que com as novas exigências regulamentares , aplicadas A SÈRIO, a situação mude radicalmente - para bem dos investidores Portugueses, do País, e dos profissionais do sector.

Belle Époque nos Fundos de Investimento 28.12.2017

A ascensão imparàvel dos Fundos de Investimento (FI) como alternativa, ocorreu nos anos 50 do século passado, nos EUA.
Devido não tanto a fatores positivos (maiores expectativas de rendibilidade, neutralização do risco específico, liquidez), mas ao fator negativo dos juros baixos dos Depósitos.
Foi um primeiro período de Belle Époque que acabou por levar à consolidação do papel dos FI nos patrimónios, chegando-se hoje a valores superiores a 40% nos EUA e mesmo a 70% na Suécia.
Em Portugal está-se MUITO abaixo do valor que seria o óptimo para as famílias Portuguesas, não obstante o período de Belle Époque que também hoje se vive.
Mas será temporário.
E seria de bom aviso os Bancos aproveitarem o momento para, através de acção pedagógica (e até como apoio às redes comerciais para cumprir oportunísticos objectivos de venda), tentarem elevar o peso dos FI no património financeiro dos Portugueses, para níveis correspondentes ao indicado para cada cliente pela teoria das carteiras óptimas

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub